Questões na prática

Pediatria

Pediatria Geral

Você recebe o telefonema de uma mãe cuja filha, de 3 anos de idade, frequenta creche onde ocorreu 1 (um) caso de escarlatina com um colega de sala. A mãe refere que a diretora orientou as mães a procurarem os pediatras de seus filhos. Sabe-se que a criança doente foi afastada e a creche permaneceu aberta. Qual a orientação que você recomenda para sua paciente?

A
Fazer cultura de orofaringe e tratar conforme o resultado.
B
Aplicar penicilina benzatina profilática.
C
Marcar consulta imediatamente para avaliar a possibilidade de doença assintomática.
D
Observar e trazer para consulta, caso a filha apresente alguma alteração clínica.
E
Manter a filha fora da creche por 1 semana.
Considere um paciente obeso (IMC=32Kg/m²), hipertenso mal controlado, sedentário. Diagnóstico recente de diabetes, com pouca sintomatologia. Com o objetivo de alcançar controle glicêmico, reduzir eventos cardiovasculares e mortalidade, a conduta mais adequada é:
Paciente diabética, de 54 anos, está em uso de sulfonilureia e metformina; inapetente há quatro dias, é levada a atendimento hospitalar com quadro clínico de dor de cabeça, confusão, tontura, fraqueza, sudorese, taquicardia e tremor. O diagnóstico mais provável é:
Sobre Hipertensão Arterial Sistêmica ( HAS), considere as seguintes afirmações: I - A principal relevância da identificação e controle da HAS reside na redução das suas complicações, tais como: doença cérebro-vascular e doença renal crônica. II - Hipertensão arterial é definida como pressão arterial sistólica maior ou igual a 140mmHg e uma pressão arterial diastólica maior ou igual a 90mmHg. III - Hipotereoidismo e hipertireoidismo são causas de hipertensão secundária. Quais estão corretas?
Considerando as principais estratégias para o tratamento não-farmacológico da Hipertensão Arterial Sistêmica, a alternativa correta e mais completa é:
Compartilhar