Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Mulher de 22 anos, primigesta, grávida de 31 semanas pela DUM, sem acompanhamento pré-natal, chega ao hospital com queixa de cefaleia, dor abdominal e turvação visual. Nega antecedente de hipertensão arterial. Apresenta PA = 160x110 mmHg, altura uterina de 28cm, BCF = 155bpm, sem contrações uterinas, edema ++/++++ de membros inferiores. Qual deve ser a conduta?

A
Medicar com sulfato de magnésio e hidralazina.
B
Administrar alfa-metildopa em dose crescente até normalização dos níveis pressóricos.
C
Antecipação do parto e em seguida administrar anti-hipertensivos potentes.
D
Repouso em decúbito lateral esquerdo, medicar com hidralazina e monitorização fetal.
E
Administrar alfa-metildopa, manter repouso no leito e restrição de sal.
Homem idoso (72 anos) é internado por dor retroesternal, supradesnível de ST em D1, AVL, V5 e V6, troponina sérica elevada e hemoglobina de 8 g%. Dentre as citadas, indique a melhor opção terapêutica:
Idosa é despertada do sono noturno por dor lombar a direita, irradiando para cicatriz umbilical, com melhora após analgésico EV. No dia seguinte recrudescimento da dor, agora acompanhada de náuseas, vômitos e febre não aferida, com calafrios. História de hipertensão arterial e de osteoporose, fazendo uso de carbonato de cálcio e tiazídico. USG revela moderada dilatação do sistema excretor à direita, sem identificação de cálculos. Ht: 41,8%, leucócitos 7.900/mm3; plaquetas 238.000/mm3; creatinina 1,4 mg%; U: 92 mg%. Assinale o item que indica as condutas mais adequadas para o caso.
Um homem diabético insulinodependente procura seu consultório devido à anemia microcítica e hipocrômica, com saturação da transferrina e ferritina baixas. Dentre os inúmeros exames que portava, destacam-se a presença de anticorpos contra endomíseo, gliadina e peroxidase da tireoide. Dentre as citadas, a melhor conduta para definição diagnóstica seria:
Uma idosa é admitida em função de desidratação decorrente de sua recusa em aceitar alimentação e líquidos, associada a úlcera de pressão por imobilidade no leito. O quadro evolui a cerca de 3 semanas, com relato do cuidador de retraimento social importante, mantendo-se a paciente permanentemente de olhos fechados e sem qualquer interação com o meio. Seus sinais vitais, após reposição volêmica inicial, estão normais, seu ritmo cardíaco mantêm-se regular em 2 tempos, o murmúrio vesicular é universalmente audível, sem adventícios pulmonares, nada digno de nota sendo detectado ao exame do abdome. Indique, dentre as citadas, a hipótese diagnóstica mais provável.
Compartilhar