Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Mulher de 22 anos, primigesta, grávida de 31 semanas pela DUM, sem acompanhamento pré-natal, chega ao hospital com queixa de cefaleia, dor abdominal e turvação visual. Nega antecedente de hipertensão arterial. Apresenta PA = 160x110 mmHg, altura uterina de 28cm, BCF = 155bpm, sem contrações uterinas, edema ++/++++ de membros inferiores. Qual deve ser a conduta?

A
Medicar com sulfato de magnésio e hidralazina.
B
Administrar alfa-metildopa em dose crescente até normalização dos níveis pressóricos.
C
Antecipação do parto e em seguida administrar anti-hipertensivos potentes.
D
Repouso em decúbito lateral esquerdo, medicar com hidralazina e monitorização fetal.
E
Administrar alfa-metildopa, manter repouso no leito e restrição de sal.
Pedro, 16 meses de idade, é atendido no ambulatório para verificar o seu cartão vacinal. Está com tosse e coriza há 3 dias. Sem febre. Tinha feito uso de BCG e Hepatite B ao nascimento, uma dose de Hepatite B com um mês e, no segundo mês de vida, fez a vacina tetravalente (DPT + Hib), vacina oral para pólio e a primeira dose da vacina contra rotavírus. Como apresentou convulsão após 24 horas da aplicação destas vacinas do segundo mês, não mais retornou para continuar o calendário vacinal. Em relação à orientação vacinal para hoje, assinale a alternativa correta:
Primigesta, 26 anos, 19 semanas de gestação, procurou o pronto-socorro obstétrico com cefaleia frontal intensa, escotomas cintilantes e edema generalizado. Refere pré-natal até o momento sem intercorrências com exames rotineiros todos normais. Nega história pregressa e familiar de hipertensão arterial e nefropatia. Ao exame: PA= 160/120 mmHg, altura uterina de 15 cm, frequência cardíaca fetal de 140 bpm, edema palpebral e em mãos. Exames complementares: ácido úrico = 6,5 g/dl, ?ta reagente urinária = proteínas 3+ . Em relação ao caso acima, assinale a alternativa correta.
Assinale a alternativa que indica corretamente o antígeno da vacina citada e seu esquema vacinal, conforme o calendário para Vacinação de Crianças, do Programa Nacional de Imunizações do Brasil.
No que se refere ao partograma e ao diagnóstico dos partos distócicos, podemos afirmar: I - o partograma é considerado um instrumento que reduz os riscos de morte perinatal e incidência de trabalho de parto prolongado. II - a fase ativa prolongada manifesta-se com dilatação progressiva, porém lenta demais, com velocidade inferior a 1 cm por hora, ultrapassando facilmente a linha de alerta e podendo atingir a linha de ação. III - a parada secundária da dilatação caracteriza-se pela persistência da mesma dilatação, evidenciada por dois toques consecutivos com intervalo de 2 horas, e também pode atingir as linhas de alerta e de ação. Qual a alternativa correta?
Compartilhar