Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Mulher de 25 anos queixa-se de dispneia progressiva nos últimos 6 meses e, atualmente, aos pequenos esforços e cansaço, relata ainda tosse com hemoptoicos no último mês. Ao exame, apresenta ausculta com hiperfonese da primeira bulha. ECG com sinais de sobrecarga de átrio esquerdo e desvio do eixo para direita. Radiografia de tórax com abaulamento da artéria pulmonar. Qual a hipótese diagnóstica?

Gestante de 37 anos, com 33 semanas de gestação, queixa-se de parada de movimentação fetal há 1 dia. Refere não ter nenhuma intercorrência no pré-natal. É sua segunda gestação, tendo um parto normal há 3 anos, com recém-nascido saudável que pesou 3.300g. A pressão arterial é de 100x60cm H2O. A altura uterina é de 29cm, não há dinâmica uterina. Não se auscultam batimentos cardíacos fetais e o colo está impérvio. A ultrassonografia revela ausência de batimentos cardíacos fetais, apresentação pélvica, placenta grau II e líquido amniótico de volume normal. Qual a conduta a ser tomada?
Quais os itens abaixo são marcos do desenvolvimento de uma criança com 6 meses de idade?
Criança, nascida de parto normal a termo, apgar de 9 no primeiro minuto e de 10 no quinto minuto, pesando 3.280 g, é encaminhado para o alojamento conjunto, usando LM exclusivo. Na alta, após o segundo dia de vida, o pediatra nota icterícia de esclerótica e face. No prontuário, verifica que a mãe é Rh+, grupo A e o RN é Rh negativo, grupo O. A dosagem de bilirrubinas revelou BI igual a 10% do total. O diagnóstico mais provável nesse caso é:
Paciente de 10 anos após picada de inseto em face evoluiu após 24 horas com edema e vermelhidão em região de olho esquerdo. Ao exame físico edema e discreto eritema em pálpebra inferior esquerda, mobilidade ocular intrínseca e extrínseca normais, sem dor, visão preservadas e sem proptose. Identifique o diagnóstico e conduta mais adequada.
Compartilhar