Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

Mulher de 29 anos apresenta-se em trabalho de parto após gestação de 39 semanas. Foi diagnosticada durante o 2º trimestre da gestação como tendo diabetes gestacional e tratada com dieta. O exame ultrassonográfico mostrou um feto com peso de 4000g não se identificou nenhuma anomalia congênita. Após um parto prolongado, caracterizado pela falta de descida da cabeça, foi diagnosticada desproporção cefalopélvica e feita a intervenção cirúrgica (cesariana). Nasceu um neonato pletórico, com peso de 4000g. Constatou-se que o neonato exibia esforços respiratórios irregulares e uma frequência cardíaca de 100 bpm logo após nascimento. O índice de Apgar no 1º minuto foi de 05; o pH do cordão umbilical foi de 7.10. Este neonato está em risco dos eventos abaixo, exceto:

A
Hemorragia intracraniana.
B
Hipoglicemia.
C
Hiperviscosidade.
D
Hiperbilirrubinemia.
E
Doença de membrana hialina.
No trato gastrointestinal, qual o principal sítio de absorção de nutrientes?
Paciente de 75 anos, tabagista, com doença pulmonar obstrutiva crônica, otite média crônica em tratamento com amoxacilina, hipertenso há 12 anos e diabético há 8 anos, em uso de glimeperida 4 mg/dia, metformina 850 mg/dia, amilorida 10 mg/dia, captropil 75 mg/dia, cavedilol 25 mg/dia e sinvastatina 40 mg/dia, sequelado de AVC (hemiparético à E), chega ao pronto-socorro do SUS com história de cefaleia holocraniana e constante há 9 dias; disfasia há 4 dias; náuseas, vômitos e confusão mental há 2 dias. Há 3h, apresentou crise convulsiva tonicoclônica generalizada. Apresenta ainda dispneia de repouso e ortopneia, astenia e anorexia. Nega febre. Ao exame, PA de 150/90 mmHg, FC de 68 bpm, FR de 27 ir/min, afebril, hipocorado (++/4), edema de MMII, ++/4; AR: murmúrio vesicular universalmente diminuído com estertores difusos; ACV; RCR, 3T, bulhas normofonéticas, sopro sistólico em foco aórtico de +/4; ABD; hepatomegalia a 2 cm do RCD, dolorosa e macicez móvel à percussão; Sistema nervoso: força grau III à E, desorientado, disfásico, sem sinais meníngeos. Exames complementares: leucócitos de 3.100 cél/mm3, plaquetas de 746.000, proteína c reativa de 32 mg/dl, creatinina de 1 mg/dl, sódio de 130 meq/l, potássio de 6,1 meq/l. Radiografia de tórax: presença das linhas B de Kerley e infiltrado Peri-hilar bilateral. Em relação ao caso clínico, responda: Em relação à causa base do quadro clínico atual do paciente, marque a melhor opção:
Avaliem as afirmativas a seguir, acerca de cetoacidose diabética e coma hiperosmolar. I. O coma hiperosmolar só ocorre quando a osmoralidade efetiva excede 340 mOsm/L. II. Os anions não mensuráveis que constituem “ânion gap” normal incluem albumina e outras proteínas circulantes, sulfato, fosfato, e uma variedade de ácidos orgânicos. III. A resposta compensatória normal à acidose metabólica é a hiperventilação, e a diminuição apropriada da Pco2 pode ser determinada pela equação de WINTER: Pco2 = ([3,5] x [HCO3]) + 8. Assinale a resposta:
M.G.M., 28 anos, GIPOAO, com 40 semanas em trabalho de parto. Apresenta medida do fundo uterino de 38 cm. Na palpação abdominal observa-se hipersistolia, taquissistolia, limite evidente entre o segmento superior e inferior, ligamentos redondos tensos e dolorosos. Ao toque vaginal observa-se colo uterino dilatado 4 cm, ODP; plano -3 De Lee, bolsa íntegra. O diagnóstico é:
Compartilhar