Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Mulher de 30 anos apresenta histerossalpingografia com dilatação de ambas as tubas. Refere ter tido duas internações por doença inflamatória pélvica (DIP). Os agentes mais comuns encontrados nesta afecção são:

A
Enterococcus faecalis e Mycoplasma hominis.
B
Trichomonas vaginalis e Mycoplasma hominis.
C
Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae.
D
Streptococcus pyogenes e Gardnerella vaginalis.
Ao examinar um RN em alojamento conjunto você observa reflexo esbranquiçado na pupila direita, diferentemente da cor vermelho-alaranjada da pupila contralateral. Quais os diagnósticos mais pertinentes a tal achado?
Homem, 70 anos, residente em uma pensão, foi levado ao médico da unidade básica de saúde. Nos últimos meses ele “cismou” que a sua comida estava envenenada, passando a ingerir apenas alimentos congelados ou enlatados. Negava humor deprimido, alterações do sono e apetite, dificuldades de memória e concentração, bem como alucinações. Cuidava de suas finanças e realizava suas atividades diárias sem dificuldade. Exceto pela grave perda auditiva, os exames físico e neurológico não apresentavam alterações. O mini exame do estado mental foi compatível com a escolaridade. A HIPÓTESE DIAGNÓSTICA É:
Menino, 3a, queixa-se de dor em joelho direito há 5 dias, que piora com esforço físico. Nega sinais inflamatórios. Tem história de quadro infeccioso de vias aéreas superiores há 10 dias. Exame físico: marcha claudicante, limitação da abdução e rotação interna do quadril direito, sem outras alterações. A HIPÓTESE DIAGNÓSTICA E A CONDUTA SÃO:
Amaro, 42 anos de idade, apresenta quadro clínico de Síndrome de Dependência de Álcool. Relata ter iniciado o consumo de bebidas alcoólicas aos 16 anos e ter começado significativos problemas com este consumo aos 24 anos de idade. Refere que seu primo paterno é também alcoolista. Quando investigado laboratorialmente, após o período de desintoxicação, os seus níveis de GGT mostraram o valor de 450 U/L (referência 10-50 U/L). Com estas informações, em qual classificação, de acordo com Cloninger (Cloninger, C. Robert), este paciente se insere e qual a melhor opção farmacológica, tendo em vista as medicações aprovadas para uso nesta condição, atualmente?
Compartilhar