Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Hepatologia

Mulher de 43 anos, três filhos, Indice de Massa Corpórea (IMC) de 32,5 kg/m2 , se apresenta ao PS com quadro de dor abdominal de forte intensidade, acompanhada de vômitos e icterícia. Os exames iniciais mostram amilase sérica de 327 Us, TGO de 122, TGP de 120, GGT de 278, bilirrubinas totais de 4,5 mg a custa de bilirrubina direta. O U.S. mostra colelitíase com pequena dilatação intra-hepática e do hepatocolédoco. Avaliação do colédoco distal e pâncreas prejudicada. A conduta deve incluir:

A
jejum, hidratação, analgésicos, antiemético, observação e reavaliação clínica permanente.
B
a avaliação do caso como pancreatite aguda biliar, tratar clinicamente, inclusive com antibiótico de largo espectro e estabelecer os critérios de Ranson para classificação com novos exames sorológicos em 24 horas.
C
a tomografia computorizada abdominal, pois existe dúvida diagnóstica e o U.S., embora muito bom para fígado e vesícula, não o é para colédoco distal e pâncreas.
D
a colangiopancreatografia endoscópica retrógrada que seria diagnóstica e terapêutica, mas devido à possibilidade de colangite, a colangiografia por ressonância magnética tem preferência diagnóstica.
E
a colecistectomia laparoscópica ou convencional com colangiografia por se tratar de abdome agudo inflamatório.
Estivador de 32 anos com um quadro de artrite em joelho esquerdo há 2 dias e refere que há 10 dias apresentou uma poliartralgia migratória assimétrica, mialgia, exantema e febre que melhoraram nos três últimos dias. Qual o diagnóstico mais provável deste paciente?
Mulher de 32 anos com fraqueza muscular proximal associada a eritema malar e esclerodactilia. Na tomografia de tórax, foi visualizada uma hipertensão arterial pulmonar. Nos exames laboratoriais, apresenta um fator antinuclear e um anti-RNP positivos. Qual o diagnóstico mais provável?
Em relação às principais síndromes geriátricas, é correto afirmar, exceto:
Quanto ao traumatismo de coluna, é INCORRETO afirmar que:
Compartilhar