Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Hepatologia

Mulher de 43 anos, três filhos, Indice de Massa Corpórea (IMC) de 32,5 kg/m2 , se apresenta ao PS com quadro de dor abdominal de forte intensidade, acompanhada de vômitos e icterícia. Os exames iniciais mostram amilase sérica de 327 Us, TGO de 122, TGP de 120, GGT de 278, bilirrubinas totais de 4,5 mg a custa de bilirrubina direta. O U.S. mostra colelitíase com pequena dilatação intra-hepática e do hepatocolédoco. Avaliação do colédoco distal e pâncreas prejudicada. A conduta deve incluir:

A
jejum, hidratação, analgésicos, antiemético, observação e reavaliação clínica permanente.
B
a avaliação do caso como pancreatite aguda biliar, tratar clinicamente, inclusive com antibiótico de largo espectro e estabelecer os critérios de Ranson para classificação com novos exames sorológicos em 24 horas.
C
a tomografia computorizada abdominal, pois existe dúvida diagnóstica e o U.S., embora muito bom para fígado e vesícula, não o é para colédoco distal e pâncreas.
D
a colangiopancreatografia endoscópica retrógrada que seria diagnóstica e terapêutica, mas devido à possibilidade de colangite, a colangiografia por ressonância magnética tem preferência diagnóstica.
E
a colecistectomia laparoscópica ou convencional com colangiografia por se tratar de abdome agudo inflamatório.
Paciente de 78 anos, sexo masculino, diabético insulino-dependente, refere há 2 meses abaulamento em região inguinal direita aos esforços, com redução ao repouso e com desconforto local, mas sem dor. Ao exame físico, manobra de Valsava positiva. Para o quadro clínico acima exposto, é correto afirmar:
Jovem de 15 anos foi internado com quadro de oligúria, edema na face e nos membros inferiores e dispneia. Cerca de 1 semana antes, havia apresentado feridas infectadas nas pernas. Ao exame, a pressão arterial era de 150 x 95 mmHg, e havia turgência jugular. O exame de urina mostrou proteinúria (++) e 50 hemácias/campo. A creatinina era de 0,8 mg%, e o título de ASLO estava aumentado. O tratamento apropriado para esta condição pode necessitar de:
No diagnóstico diferencial das icterícias obstrutivas é importante:
São consideradas lesões benignas gastroduodenais:
Compartilhar