Questões na prática

Clínica Médica

Ginecologia e Obstetrícia

Infectologia

Mulher de 55 anos, diabética há 20 anos, consultou nefrologista com queixas de disúria, polaciúria e noctúria. Referiu que desde a menopausa, aos 48 anos, vem apresentando 3 a 4 episódios semelhantes a cada ano. Os germes isolados nessas ocasiões foram Escherichia coli, Proteus SP e Enterobacter sp. Relatou também episódios intermitentes, nos últimos meses, de náuseas, vômitos, dificuldade de esvaziar a bexiga e diarreia (principalmente à noite). Este caso pode ser classificado, segundo o tipo de infecção urinária, como:

A
cistite não complicada, sintomática e recorrente, com reinfecções
B
cistite complicada, sintomática e recorrente, com reinfecções
C
cistite complicada, sintomática e recorrente com recidivas
D
pielonefrite não complicada, sintomática e recorrente com reinfecções
E
pielonefrite complicada, sintomática e esporádica, com recidivas
Em um paciente com caso de paraparesia rapidamente progressiva, com arreflexia dos patelares e aquileus, com sensibilidade preservada, qual o diagnóstico mais provável:
O acompanhamento dos parâmetros antropométricos na infância deve ser feito rotineiramente nas consultas pediátricas. Das alternativas abaixo assinale a correta:
Um lactente de 6 meses de idade apresenta diarreia aquosa e vômitos há 48 horas (ao exame, sem sinais de desidratação). O plantonista prescreveu: - Manutenção do aleitamento materno - Sais de reidratação oral: 100-200 ml após perdas - Metoclopramidas: 7 gotas após cada episódio de vômito - Antiespasmódico: 7 gotas de 8/8 horas - Sulfametoxazo: trimotoprim: 5ml de 12/12 horas Quantos erros você detecta nesta prescrição:
Heloísa, 24 anos, gesta III, para 0, aborto II (duas perdas fetais no 2º trimestre), atualmente na 34ª semana de gestação, procura a emergência com cólica, dores em membros inferiores e perda líquida há duas horas, sem sangramento. No exame obstétrico inicial, observa-se líquido amniótico claro e sem grumos saindo pela vagina. Nos membros inferiores nota-se trombose venosa profunda (TVP). A cardiotocografia realizada 1h após a internação evidencia padrão periódico, desaceleração da frequência cardíaca fetal, cujo intervalo de tempo entre o início da contração e o princípio da desaceleração é de 35 segundos com linha de base em 130 bpm. O padrão cardiotocográfico é DIP:
Compartilhar