Questões na prática

Clínica Médica

Ginecologia e Obstetrícia

Infectologia

Mulher de 55 anos, diabética há 20 anos, consultou nefrologista com queixas de disúria, polaciúria e noctúria. Referiu que desde a menopausa, aos 48 anos, vem apresentando 3 a 4 episódios semelhantes a cada ano. Os germes isolados nessas ocasiões foram Escherichia coli, Proteus SP e Enterobacter sp. Relatou também episódios intermitentes, nos últimos meses, de náuseas, vômitos, dificuldade de esvaziar a bexiga e diarreia (principalmente à noite). Este caso pode ser classificado, segundo o tipo de infecção urinária, como:

A
cistite não complicada, sintomática e recorrente, com reinfecções
B
cistite complicada, sintomática e recorrente, com reinfecções
C
cistite complicada, sintomática e recorrente com recidivas
D
pielonefrite não complicada, sintomática e recorrente com reinfecções
E
pielonefrite complicada, sintomática e esporádica, com recidivas
Homem, 66 anos, em tratamento para HAS e diabete melito, apresenta icterícia e prurido há 2 semanas. É submetido à CPER sob anestesia com propofol IV. A contrastação da via biliar demonstra estenose no terço médio do colédoco com dilatação amontante. Doze horas após o procedimento, está obnubilado e com hipotensão arterial. Qual é a provável causa deste quadro clínico?
Com relação ao aleitamento materno e à infecção na nutriz, assinale a alternativa CORRETA:
Criança de 5 anos, sexo masculino, branco, previamente hígido é levado ao atendimento médico por aparecimento súbito de petéquias e equimoses em membros e tronco. Apresenta também epistaxe discreta. Nega febre, emagrecimento ou outras alterações. Exames complementares: anemia leve, normocítica e normocrômica, 7.100 leucócitos totais, plaquetas: 31.000. A hipótese diagnóstica mais provável é:
Paciente com 54 anos, sexo feminino, com queixa de dor e parestesia nas mãos. Refere que a dor é pior à noite, acordando algumas vezes por causa desta. Refere ainda que a dor se irradia até os ombros. Apresenta hipotrofia dos músculos da eminência tenar. A hipótese diagnóstica é síndrome do:
Compartilhar