Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Mulher de 58 anos, diabética e hipertensa há 15 anos, apresenta dispneia e sudorese há 1 hora. Exame físico: PA = 150 x 100 mmHg, FC 110 bpm, FR 30 mpm e saturação periférica de oxigênio 89%. Ausculta torácica: bulhas rítmicas e normofonéticas, sem sopros; crepitações finas nos 2/3 inferiores do tórax. Eletrocardiograma: supradesnivelamento do segmento ST nas derivações V1 a V4. Foram realizados oxigenioterapia e administração de ácido acetilsalicílico. Assinale a alternativa que contém a melhor conduta Inicial:

A
clopidogrel, enoxaparina, betabloqueador e sinvastatina; não usar trombolítico, porque não há dor torácica.
B
clopidogrel, enoxaparina, inibidor da enzima conversora de angiotensina II (iECA), nitrato, diurético, trombólise com tenecteplase.
C
inibidor de GP IIB-IIIA, enoxaparina, iECA, angioplastia primária.
D
clopidogrel, heparina não fracionada, inibidor de GP II-B IIIA, betabloqueador, morfina, iECA e trombólise com tenecteplase.
E
enoxaparina, betabloqueador, angioplastia primária, iECA, diurético.
Um lactente de10 meses de idade senta-se sozinho sem apoio, faz movimentos de pinça com o polegar e o indicador, responde ao som do nome, mas, segundo a mãe, ainda não anda com apoio, apenas fica de pé. A conduta mais adequada é:
Criança de 3 anos, com história ou crises convulsivas, em uso regular de fenobarbital dá entrada no Pronto-socorro com convulsão tônico clônico generalizada de duração maior do que15 minutos, segundo relato dos pais. Mãe refere que a criança não recebeu as últimas 2 doses da medicação. Qual é a sequência adequada de condutas para esse caso?
A motricidade reflexa independe do controle voluntário e é produzida em resposta a estímulos específicos. Com relação ao exame dos reflexos primitivos na criança que podem ser avaliados nas consultas de puericultura, assinale a alternativa correta:
Seu colega de plantão está na dúvida sobre a conduta em um quadro de dor testicular direita de início há 6 horas. Relatou a você que está em dúvida sobre dois aspectos do exame físico, em decúbito dorsal, o paciente refere melhora da dor quando se eleva a bolsa escrotal e que à palpação testicular não há horizontalização com epidídimo na face anterior do testículo. Qual o provável diagnóstico e uma boa escolha terapêutica?
Compartilhar