Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Multigesta com 36 semanas de gestação, hipertensa crônica, compareceu à emergência queixando-se de dor epigástrica. Refere ter feito uso de hidróxido de alumínio sem melhora. Ao exame: PA = 190 x 120 mmHg; fundo de útero = 36 cm, bcf = 156 bpm; atividade uterina: 3/10’/50’’. Ao toque, o colo está centralizado e dilatado 5 cm. As medidas iniciais neste momento devem ser:

A
administrar hidralazina intravenosa e sulfato de magnésio.
B
prescrever sulfato de magnésio e realizar cardiotocografia.
C
fazer hidralazina intravenosa e acelerar o parto com ocitocina.
D
solicitar os exames de rotina para pré-eclâmpsia e indicar cesariana de urgência.
Jéssica tem 2 anos e chega ao pronto-socorro com dor e incapacidade de movimentação do membro superior direito. A mãe nega história de trauma e informa que tudo aconteceu quando passeavam na praça: "Doutor, ela tropeçou e ia cair quando eu a puxei e levantei pela mão direita". Ao exame, Jéssica mantém o braço direito fletido, tem dor à movimentação e sua mão está em pronação. O diagnóstico mais provável para Jéssica é:
São características radiográficas da osteoartrose, exceto:
RN nascido de parto cesariano, pós termo, banhado em mecônio fluido, não chorou ao nascer. Ao exame: Hipotônico, cianose central, apneia e FC de 60 bpm. A conduta imediata a ser realizada é:
Paciente de 45 anos, masculino, proveniente de Palmeiras - Goiás, com queixa de ferida no pênis há 6 meses. Ao exame físico mostra lesão úlcerocrostovegetante, com bordos elevados, com 3,0 cm de diâmetro e fundo sujo. Refere relação sexual sem proteção e uso de Penicilina injetável por conta própria. Foi feita hipótese diagnóstica de doença sexualmente transmissível e câncer. Realizada biópsia da lesão. Marque a alternativa mais correta para o caso.
Compartilhar