Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Na isquemia aguda mesentérica podemos dizer:

A
Desde o advento da heparinização, não é necessário o tratamento cirúrgico de urgência, pois seu uso diminuiu o índice de mortalidade
B
A isquemia intestinal aguda pode ser devida à oclusão das veias mesentéricas
C
A isquemia intestinal aguda não pode se desenvolver sem obstrução vascular mecânica
D
A realização de estudo angiográfico prévio a laparotomia exploradora não altera o prognóstico da doença
E
Na trombose da artéria mesentérica superior em sua origem o comprometimento vascular sempre poupa o duodeno e o cólon direito
Acerca da avaliação e do tratamento de pacientes politraumatizados, julgue o item subsequentes. Os sinais mais precoces de síndrome compartimental são o deficit motor e o desaparecimento do pulso distal.
As afecções urológicas, tanto benignas quanto malignas, apresentam elevada prevalência. Acerca dessas doenças, julgue o item que se segue. No tratamento da fasceíte necrosante, conhecida como gangrena de Fournier, a colostomia derivativa é indicada na fase precoce e deve ser realizada no primeiro desbridamento das áreas necrosadas.
Considere que um paciente com dor na fossa ilíaca direita há 12 horas, associada a febre e vômitos, tenha o diagnóstico clínico de apendicite e deva ser submetido a tratamento cirúrgico. Diante desse quadro clínico, julgue o próximo item. A artéria que nutre o apêndice é ramo da artéria cólica média.
Considerando a importância da avaliação clínica e laboratorial pré-operatória no preparo de pacientes para operações eletivas, julgue os itens a seguir. A dosagem de glicemia de jejum é mandatória em pacientes com colelitíase, em decorrência da elevada prevalência de intolerância à glicose nesses pacientes.
Compartilhar