Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Na pré-eclâmpsia devemos:

A
Utilizar hipotensores com diastolica maior 90 mm Hg
B
O ideal é reduzir os níveis pressoricos de 20-30% da diastólica inicial
C
Indicar repouso decúbito lateral direito
D
Indicar dieta hipersódica
E
Não recomendamos sedação
Paciente apresenta os seguintes exames: K= 8,3 e eletrocardiograma mostrando ondas T pontiagudas e simétricas em todas as derivações. A primeira medida terapêutica a ser adotada é: Referência: GOLDMAN, L.; AUSIELLO, D. Cecil - Tratado de Medicina Interna - 21ª Edição.
Lactente de oito meses inicia com febre (T=38, 5ºC) há um dia, olhos vermelhos e lacrimejamento. Ao exame apresenta hiperemia de tonsilas palatinas com vesículas em pilares anteriores e ulceração em amígdala direita. O diagnóstico etiológico MAIS PROVÁVEL: Referência: Tratado de Pediatria - Sociedade Brasileira de Pediatria - 2007.
Mulher de 60 anos, diabética e com história de convulsões, consultou por desejar orientações para parar de fumar, encontrando-se motivada para realizar o tratamento. Negava sintomas depressivos. Relatou fumar 20 cigarros/dia desde os 20 anos. No teste de Fargerström, sua pontuação foi 8. Diante deste quadro, qual a conduta mais adequada?
Paciente masculino, 19 anos, procura atendimento devido a lesão em coxa direita. Informa que o quadro teve início com uma area com induração com eritema, dor e calor local. Houve aumento de tamanho. Ao exame físico, apresentou Tax = 37,2° e lesão com flutuação, circundada por area de celulite. A conduta mais adequada é:
Compartilhar