Questões na prática

Clínica Médica

Neurologia

Na síndrome extrapiramidal tóxica podem ser observados todos abaixo, EXCETO:

A
Opistótono.
B
Crise oculógira.
C
Hipotonia.
D
Tremor.
E
Torcicolo.
RN, 4 dias de vida, veio para consulta ambulatorial 48 horas após alta hospitalar para reavaliação. Antecedentes: gestação sem intercorrências, parto normal a termo, Apgar: 8/9, peso: 3100 gramas, apresentou dificuldade para sugar ao seio e perda ponderal de 9% nas primeiras 24 horas. Tipagem sanguínea do recém-nascido: A Rh positivo. A avaliação de bilirrubina total nesta consulta foi de 23 mg/dl com 1 mg/dl de bilirrubina direta. Foi colocado em fototerapia de alta intensidade e o controle após 6 horas mostrou queda dos níveis de bilirrubina total para 19 mg/dl. A CONDUTA É:
Febre hemorrágica viral refere-se a um grupo de doenças causadas por distintas famílias de vírus. O termo em geral é utilizado para descrever uma síndrome multissistêmica grave, que se caracteriza por um dano vascular generalizado e apresenta uma evolução clínica variável, desde formas clínicas leves até formas graves, com alta mortalidade. A respeito do assunto, considere as seguintes afirmativas: 1. Vírus associados a febre hemorrágica são zoonóticos, ou seja, residem naturalmente em hospedeiro reservatório animal ou vetor artrópode, sendo viroses geograficamente restritas a áreas onde os seus hospedeiros vivem. 2. As febres hemorrágicas virais são causadas por quatro distintas famílias de vírus (arenaviridae, filoviridae, buniaviriridae e flaviviridae), que se caracterizam por serem vírus DNA e terem como reservatório natural o homem. 3. A maioria dos casos de febre hemorrágica viral relatados em todo o mundo é causada pelo vírus da dengue, sendo que a dengue hemorrágica representa a manifestação clínica mais grave dessa doença, caracterizando-se por extravasamento plasmático, trombocitopenia e diátase hemorrágica, a qual ocorre em uma pequena proporção de casos. 4. O espectro clínico da infecção por vírus da febre amarela varia de quadros assintomáticos, que ocorrem na metade dos infectados, a formas leves ou moderadas, com doença febril não específica em 30% dos casos, até as formas ictéricas graves, em cerca de 20% das infecções. O tratamento precoce com antivirais permite a resolução clínica da maioria dos casos. Assinale a alternativa correta.
Peri, 35 anos, é atendido pelo GSE em via pública, após acidente automobilístico. Está alcoolizado, apresenta trauma torácico, com desconforto respiratório e hipotensão (PA 90/60 mmHg), que responde a infusão de cristaloides; FC 100 bpm, FR 28 irpm. Submetido a cateterismo vesical que dá saída a 50 ml de urina sanguinolenta, à ultrassonografia abdominal que revela moderada quantidade de líquido livre na cavidade peritoneal; à radiografia de tórax com hipotransparência difusa em hemitórax esquerdo. Ao ser transportado para o Serviço de Radiodiagnóstico, Peri apresenta novo quadro de hipotensão. O lavado peritoneal é positivo para sangue. Submetido à laparotomia exploradora, observa-se presença de laceração esplênica linear em polo inferior do baço, medindo cerca de 4 cm de extensão e aproximadamente 4 cm de profundidade. A conduta é:
A denominação de hepatite fulminante é dada à insuficiência hepática aguda grave caracterizada pelo aparecimento de encefalopatia hepática, na ausência de comprometimento prévio conhecido de função hepática. Sobre hepatite fulminante, assinale a alternativa incorreta:
Compartilhar