Questões na prática

Pediatria

Otorrinolaringologia

Doenças Respiratórias

Não constitui medida preventiva de otite média aguda:

A
vacina contra Streptococcus pneumoniae
B
vacina contra Haemophilus influenzae tipo b
C
promoção do aleitamento materno
D
controle da exposição à infecções respiratórias virais
E
diminuição da exposição ao fumo passivo
Recém-nascido com 38 semanas de idade gestacional; peso de nascimento 3.250 g; parto cesárea; líquido amniótico claro; Apgar 8 e 9. Encontra-se com 36 horas de vida, assintomático, frequência respiratória de 55 irpm, em aleitamento materno no alojamento conjunto. No exame de oximetria de pulso, o resultado foi de 97% no membro superior direito e no membro inferior, de 92%. A conduta e a principal suspeita diagnóstica são, respectivamente:
Homem branco com 74 anos, fumante, hipertenso, com cardiopatia isquêmica e angioplastia prévia, procura a emergência com dor abdominal de média intensidade há 4 horas. Ecografia abdominal não visualiza outras patologias, exceto um aneurisma de aorta abdominal de 8,6 cm de comprimento com 5,8 e 5,2 cm de diâmetros anteroposterior e laterolateral que o paciente desconhecia ter. Qual é a melhor conduta em relação ao caso clínico?
Homem de 72 anos apresenta sintomas prostáticos com escore de elevados baseado no questionário International Prostatic Symptoms Scores. Há 3 anos vem sendo tratado com alfabloqueador e inibidor da fosfodiesterase com boa resposta ao tratamento clínico. No entanto, há 6 meses vem progredindo os sintomas e há 1 mês piorou muito. Toque retal: próstata grande de consistência fibroelástica. Exames PSA: 2,1 ng/ml (normal até 2,5 ng/ml); sumário de urina: leucocitúria; urocultura: negativa; ureia: 45 mg/dL e creatinina: 1,9 mg/dL. Ultrassonografia: bexiga espessa com próstata de 80 cm³, hidronefrose e resíduo pós-miccional de 150 ml. A cirurgia de ressecção endoscópica da próstata foi indicada utilizando bisturi polar e irrigação de água destilada. Na recuperação pós-anestésica, o paciente apresenta quadro confusional agudo, náusea, vômitos, hipertensão, bradicardia e visão turva. Que medida deve ser tomada para reverter o quadro?
Mulher de 75 anos realizou tomografia de vias urinárias para investigar nefrolitíase e identificou um nódulo na glândula suprarrenal, à direita de 3 cm, de aspecto homogêneo e circunscrito. Nega história patológica pregressa além do cálculo renal eliminado há um mês. Na avaliação com o endocrinologista não foi detectado ser funcionante. Qual a conduta?
Compartilhar