Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Neurologia

Neonatologia

Nara, 16 anos, traz sua filha de 1 mês e 10 dias, Luiza, à Emergência às 6:30h da manhã, com convulsões tonicoclônicas generalizadas que se iniciaram há, aproximadamente, 30 minutos. A criança começou a “se debater” após a última mamada, aproximadamente às 23h do dia anterior e apresentou várias crises semelhantes durante a madrugada. Exame físico: peso 3560 g, FC 136 bpm, FR 48 irpm. Lactente com crise convulsiva tonicoclônica generalizada, acrocianose (++/4+), hipocorada (+/4+), hidratada, anictérica, fontanela anterior plana, normotensa, crânio sem alterações, isocoria e fotorreagência bilateral; ritmo cardíaco regular, boa perfusão capilar periférica, pulmões bem ventilados, roncos esparsos; quatro lesões equimóticas e acastanhadas, arredondadas, em região lombar paravertebral; abdome plano normotenso, fígado a 1 cm do RCD, baço impalpável; genitália compatível com sexo e idade, sem alterações. Luiza nasceu de parto cesáreo por bolsa rota prolongada, APGAR 9/9, PN 2860 g, CN 49 cm e evoluiu sem intercorrências. Nara reside com seu parceiro atual, que não é o pai da criança; tem dúvidas quanto à necessidade de usar complemento ao aleitamento materno porque Luiza chora muito, todos os dias, principalmente nos finais das tardes. Além de aspirar secreção de vias aéreas, no tratamento imediato estão indicados:

A
oxigênio sob cateter e benzodiazepínico IM
B
sonda nasogástrica e fenobarbital EV
C
oxigênio sob máscara e benzodiazepínico EV
D
intubação orotraqueal e fenitoína EV
Considerando um paciente de vinte e oito anos de idade que apresente cólica renal aguda decorrente de litíase renal, julgue o item a seguir. Para o referido paciente, o exame de imagem de escolha é a tomografia computadorizada helicoidal do abdome - modalidade diagnóstica que apresenta maior sensibilidade e especificidade em comparação com outros exames de imagem.
Acerca da doença arterial obstrutiva periférica, indique a alternativa CORRETA:
Segundo Stein, Zelmanowicz e Falavigna (2013), o rastreamento, também chamado de rastreio ou screening, pode ser definido como um processo que identifica pessoas aparentemente saudáveis, mas que poderiam apresentar maior risco de desenvolver uma doença ou maior probabilidade de ter uma determinada condição clínica; as quais, uma vez identificadas, se confirmadas com segurança, deveriam receber um tratamento capaz de reduzir o risco e/ou complicação da doença em questão. Com relação ao rastreamento de indivíduos assintomáticos, responda à questão seguinte. De acordo com as diretrizes de rastreamento no contexto da Atenção Primária em Saúde no Brasil, publicadas pelo Ministério da Saúde (Cadernos de Atenção Primária – número 29 – Rastreamento), avalie as opções a seguir: I – Recomenda-se o rastreamento de câncer de próstata usando dosagem anual de antígeno prostático específico (PSA) em homens assintomáticos com idades entre 75 e 85 anos. II – Recomenda-se o rastreamento para o câncer de cólon e reto usando pesquisa de sangue oculto nas fezes, colonoscopia ou sigmoidoscopia, em adultos de ambos os sexos, com idades entre 50 e 75 anos. III – Recomenda-se o rastreamento de câncer de colo do útero em mulheres com idade inferior a 65 anos, sexualmente ativas e que tenham a cérvice (não histerectomizadas). IV – Não se recomenda o rastreamento de câncer de colo do útero em mulheres com idade maior que 65 anos, que já tenham um exame de Papanicolau normal e que não façam parte do grupo de alto risco para essa patologia. V – Recomenda-se o rastreamento de câncer da mama bianual por meio de mamografia para mulheres com idade entre 50 e 74 anos. São recomendações de rastreamento para detecção precoce de câncer:
Homem de 48 anos vai ao ambulatório com história de hipertensão arterial diagnosticada há 2 meses, em uso regular de enalapril 20 mg/dia, queixando cansaço e fadiga crônicos, sonolência excessiva, chegando a dormir ao assistir TV, ao ler um livro, ou até mesmo em uma fila enquanto aguarda para ser atendido. Esses sintomas iniciaram há 6 meses, de caráter progressivo. É tabagista e sedentário. Ao exame físico: PA = 152/102 mmHg, FC = 96 bpm, IMC = 33,2 kg/m2. A hipótese mais provável e o método de escolha para investigação são, respectivamente:
Compartilhar