Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia do Aparelho Digestivo

No 6º dia de pós-­operatório de gastrectomia parcial com reconstrução, a BII inicia­-se uma drenagem de secreção abundante pelo dreno no hipocôndrio direito de aspecto amarelado turvo. O paciente não apresenta sinais de peritonite. O débito é de 500ml nas 24 horas. Qual a melhor conduta neste caso?

A
Zerar dieta e manter hidratação.
B
Zerar dieta e iniciar nutrição parenteral.
C
Progredir dieta para melhorar o aporte nutricional.
D
Iniciar antibióticos e ampliar orifício do dreno.
E
Re­operar para lavar a cavidade e reposicionar o dreno.
Paciente masculino, 36 anos, alcoolista, foi atendido no pronto-socorro local com quadro de oftalmoplegia, ataxia e confusão mental. Foi prontamente medicado com:
Mulher de 60 anos de idade está desanimada, apática e anorética. Refere inchação nas pernas e anemia. Há 15 dias vem tomando medicação para depressão sem melhoras. Fez uso de sulfato ferroso para anemia e também sem resultado. Faz uso de laxativo devido à constipação intestinal. Ao exame físico: pele fria, amarelada e ressecada, rarefação da metade distal das sobrancelhas, descorada ++/4+. Tireoide indolor e com aumento de volume. FC de 60 bpm, PA 150 X 100 mmHg e edema duro pré-tibial. Reflexos profundos diminuídos. Os exames laboratoriais mostram anemia normocítica e normocrômica, colesterol de 300 mg%. T4 livre de 0,4 ng/dl (0,7 - 1,8); TSH de 23,6 mcUI/ml (0,3 - 5) e anti-TPO de 800 UI/I. Em relação a hipótese diagnóstica mais provável, qual a informação está INCORRETA:
Um residente de clínica médica se deparou com um paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica que apresentava pulso paradoxal. O pulso paradoxal se caracteriza por:
O espasmo esofageano difuso e os distúrbios motores esofágicos são clinicamente indistinguíveis. Ambos manifestam-se por dor torácica e disfagia e o diagnóstico diferencial com outras entidades deverá priorizar:
Compartilhar