Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Infectologia

Hepatologia

No contexto de profilaxia passiva de hepatite viral a aplicação de imunoglobulina:

A
é efetiva em prevenir infecção pós-exposição a um caso de hepatite B.
B
pode ser efetiva quando aplicada até 14 dias depois da exposição próxima de um caso de hepatite A.
C
não contém níveis de anticorpos antihepatite A suficientes para ser protetora.
D
é inefetiva para prevenir hepatite B, ao contrário da imunoglobulina hiperimune da hepatite B (HBIG) que é extremamente eficaz.
E
está proscrita pelo risco de contaminação pelo vírus da hepatite C.
Assinale a opção incorreta no que se refere à hemoglobinúria paroxística noturna (HPN):
Peri, 35 anos, é atendido pelo GSE em via pública, após acidente automobilístico. Está alcoolizado, apresenta trauma torácico, com desconforto respiratório e hipotensão (PA 90/60 mmHg), que responde a infusão de cristaloides; FC 100 bpm, FR 28 irpm. Submetido a cateterismo vesical que dá saída a 50 ml de urina sanguinolenta, à ultrassonografia abdominal que revela moderada quantidade de líquido livre na cavidade peritoneal; à radiografia de tórax com hipotransparência difusa em hemitórax esquerdo. Considerando-se o trauma urológico, deve-se solicitar:
Desde a década passada, a Atenção Integral às Doenças Prevalentes da Infância (AIDPI) revelou-se uma estratégia adequada à disposição dos médicos, com um conjunto básico de intervenções baseadas em evidências científicas que permitem prevenir e tratar eficazmente as principais doenças e problemas que afetam a saúde nos primeiros anos de vida. Acerca dessas evidências, julgue o item. O caso de uma criança de dois anos de idade que tosse há três dias, consegue ingerir líquidos e que, ao exame físico, apresenta frequência respiratória de 50 incursões por minuto, sem retrações, estridor ou sibilância não deve ser classificado como pneumonia.
Para um paciente masculino, de 42 anos, com anemia ferropriva, assinale a alternativa CORRETA.
Compartilhar