Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Nefrologia

No exame parcial de urina, num paciente com disfunção renal aguda, a presença de cilindros hemáticos pode significar:

A
Evidência de hemorragia vesical, como sinal de cistite infecciosa e hemorrágica.
B
Evidência de sangramento uretral, podendo significar cálculo renal em ureter.
C
Evidência de leucocitúria, podendo significar pielonefrite.
D
Evidência de proteinúria, podendo significar síndrome nefrótica.
E
Evidência de glomerulite, podendo ser sinal de insuficiência renal aguda.
Um paciente do sexo masculino de 68 anos procurou o ambulatório de cirurgia vascular com queixa de claudicação intermitente em membro inferior direito ao deambular aproximadamente 250 metros. Como antecedentes o paciente apresentava hipertensão arterial sistêmica controlada com duas classes de anti-hipertensivos, tabagismo de 1 maço/dia por 40 anos e negava diabetes mellitus. Ao exame físico vascular: membro inferior esquerdo: pulso femoral 2+/4; pulso poplíteo; tibial posterior e pedioso não palpáveis; membro inferior direito: pulsos femoral; poplíteo; tibial posterior e pedioso não palpáveis; boa perfusão de ambos os membros e sem gradiente térmico. Durante esta primeira avaliação, qual o método diagnóstico mais adequado a ser utilizado?
Homem de 76 anos de idade, sem queixas urinárias, fez exame de rotina, constatando-se PSA = 4,1 ng/ml (normal até 2,5 ng/ml). Toque prostático revelou próstata amolecida, sem nódulos e biópsia prostática comprovou a presença de adenocarcinoma local, escore de Gleason 3+3. Estudo de ressonância multiparamétrica de pélvis e cintilografia óssea revelaram-se normais. Em relação a este caso, podemos afirmar que:
Lesões de bexiga extraperitoneais causadas por traumatismos abdominais fechados de bacia, sem outras lesões abdominais associadas, são idealmente tratadas:
Dois pacientes com sequela de trauma raquimedular ocorrido há mais de dois anos se encontram na recepção do Ambulatório de Neuro-urologia e conversam sobre os tratamentos que estão realizando. O primeiro foi vítima de capotamento automobilístico e sofreu lesão medular no nível C2 a C4. Já o segundo, foi vítima de esmagamento e sofreu lesão no nível S2 a S4. Qual o padrão provável de contratilidade da musculatura detrusora esperado no primeiro e no segundo paciente, respectivamente?
Compartilhar