Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

No item subsequente, é apresentada uma situação hipotética acerca de pediatria neonatal, seguida de uma assertiva a ser julgada. Uma criança nasceu em apneia e envolta em mecônio espesso. Nessa situação, o procedimento correto dos passos iniciais da assistência neonatal consiste em posicionar o neonato sob calor radiante e aspirar as via aéreas inferiores com um tubo orotraqueal.

A
CERTO
B
ERRADO
A ruptura espontânea do esôfago, descrita pela primeira vez em 1724, é causada por aumento súbito na pressão intra-abdominal e em geral é secundária a vômitos em cerca de 80% dos casos. Pode-se diagnosticar como: (COELHO, J. C. U. Aparelho digestivo: clinica e cirurgia, 1996)
Pré-escolar de cinco anos chega ao pronto-socorro em crise asmática iniciada quatro horas antes, após a aula de educação física. Ao exame: FR: 45 ipm, FC: 130 bpm, AP: sibilos difusos, expiração prolongada, MV um pouco diminuído. Segundo o consenso brasileiro sobre asma, a conduta terapêutica a ser adotada nesse caso é:
Uma jovem de 24 anos apresentou, há três semanas, quadro gripal de resolução espontânea. Há sete dias apresenta quadro de parestesias em mãos e pés, de caráter ascendente, associadas à diminuição de força nos quatro membros. Ao exame neurológico, observam-se tetraparesia flácida arreflexa e diparesia facial. O exame complementar que se relaciona com o quadro clínico da paciente é:
Uma adolescente de 15 anos apresenta episódios intermitentes de cefaleia há três anos. A dor é hemicrania, ora direita ora esquerda, tipo latejante, de moderada a forte intensidade, associada à náuseas, vômitos, fonofobia e fotofobia. Precedendo as crises, ela refere parestesias em face e mãos, associadas à escotomas cintilantes. As crises duram em média cinco horas e melhoram com uso de paracetamol. O exame neurológico é normal. As crises ocorrem duas vezes por mês, próximo ao período de provas escolares. O diagnóstico, nesse caso, é:
Compartilhar