Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia Geral

No planejamento do fechamento de uma ferida resultante de um trauma em um paciente que se apresenta no Pronto-Socorro é incorreto:

A
A escada reconstrutora inicia-se pelo fechamento linear, passando-se ao enxerto cutâneo, retalho cutâneo, retalhos miocutâneos e, por fim, chegando-se aos retalhos microcirúrgicos.
B
O desbridamento da ferida é um passo importante e implica na remoção dos tecidos desvitalizados e contaminados , preservando-se os nervos, vasos sanguineos, tendões e ossos.
C
Se a ferida estiver infectada como numa fasceíte necrotizante, podem ser necessários desbridamentos extensos e repetidos.
D
Após um desbridamento deve-se realizar curativo com a intenção de fechar a ferida e mantê-la o mais seca possível.
E
As feridas suspeitas de contaminação bacteriana podem ser analisadas utilizando-se a bacteriologia quantitativa e se beneficiam de uma irrigação por lavagem a jato com soro fisiológico.
Mulher de 32 anos, nulípara, residente em Magé é atendida no ambulatório, apresentando amenorreia e queixa de náuseas e vômitos incoercíveis. Ao exame físico a mesma se apresenta hipocorada +/4+, desidratada ++/4+, emagrecida FC 100 bpm. Devemos encontrar nos exames complementares:
Paciente internada no pré-parto com dilatação total, BCF 143 bpm, cardiotografia padrão reativo, metrossístoles 4/10, apresentação mentopúbica e situação longitudinal. Neste caso está indicado:
Paciente de 45 anos procura o atendimento de urgência se queixando de dor abdominal de forte intensidade, localizada em baixo ventre. Refere vida sexual ativa com fluxos menstruais irregulares. Não faz uso de métodos anticoncepcionais. GV PIV CI (para laqueadura tubária). Ao exame: corada, hidratada, acianótica, apirética. FC: 120 bpm, PA: 90x50mmHg. Abdome: plano, flácido, doloroso palpação profunda em hipogástrio, peristalse presente. Toque: presença de tumoração pediculada no canal vaginal, dolorosa à mobilização, presença de sangramento de grande quantidade, fundo de saco posterior e anterior indolores. Frente ao caso clínico podemos afirmar que:
Paciente masculino, 45 anos, procurou serviço de emergência com dor precordial opressiva de forte intensidade iniciada há cerca de 30 minutos. Realizou eletrocardiograma (ECG) que evidenciou supradesnivelamento do segmento ST DE 2 mm de V1 a V4, o que fez com o plantonista optasse pelo tratamento fibrinolítico. Em relação ao benefício deste tratamento é correto afirmar que:
Compartilhar