Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

No tratamento da insuficiência cardíaca sistólica descompensada, qual dos fármacos abaixo não deve fazer parte da terapêutica inicial?

A
Losartan.
B
Bisoprolol.
C
Furosemida.
D
Digoxina.
Paciente de 61 anos, sexo feminino, sem comorbidades, deu entrada no pronto atendimento com quadro de dor abdominal, em andar superior, há 36 horas, irradiada para as costas, associada a náuseas e sensação de estufamento abdominal. Ao exame físico: PA - 130 x 70, Pulso - 92, Temperatura - 37.8ºC, e dor à palpação abdominal, principalmente em epigástrio. Exames laboratoriais: VG - 47, 11.300 leucócitos, 14% bastões, 140.000 plaquetas, amilase - 1.350, lipase 980. Ecografia de abdome: distensão de alças de intestino de delgado, múltiplos cálculos em vesícula biliar. Em relação ao caso descrito acima é correto afirmar que: I. jejum, correção hidroeletrolítica, analgesia e antibioticos devem parte da prescrição inicial deste paciente; II. a colecistectomia laparoscópica deve ser realizada após 4-6 semanas; III. caso após 48-72 horas o paciente ainda apresenta restrição de dieta via oral, a nutrição parenteral é a melhor forma de suporte calórico-proteico; IV. colangiopancreatografia endoscópica retrógrada e retirada cálculo da via biliar principal é essencial para o tratamento.
O cisto pilonidal é uma das patologias mais comum em homens hirsutos. Cisto esse que tem origem na região pré-sacral, no sulco interglúteo, sendo causa de processos infecciosos recorrentes na região, com drenagem de secreção purulenta espontânea e formação de um ou mais trajetos fistulosos. Essa doença ficou conhecida e foi descrita na segunda guerra mundial como:
A síndrome catatônica, inicialmente considerada como manifestação de doença psiquiátrica, tem sido cada vez mais identificada nas enfermarias de clínica médica. São exemplos de sinais que podem ser encontrados nesta síndrome, EXCETO a:
Uma mulher de 65 anos, secretária executiva aposentada, procura assistência médica devido à dor lombar, com irradiação para face posterior da coxa direita, evoluindo há 3 meses e agravada há 15 dias. Neste último período, vem apresentando pouca resposta analgésica, que não cessa com o repouso e desperta-a do sono frequentemente. Exceto por emagrecimento de 6 kg desde a piora clínica, a anamnese dirigida foi irrelevante. Refere terapia de reposição hormonal. FC. 84 bpm; FR: 18 irpm; Tax. 36,8ºC; Pa: 130/80 mmHg. Laségue positivo a 45º. A hipótese diagnóstica mais provável, dentre as citadas, é de:
Compartilhar