Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Cardiologia

O abdome agudo é uma das síndromes clínicas mais comuns encontradas na prática médica, sendo caracterizada como uma dor na região abdominal de origem não traumática, de aparecimento súbito e de intensidade variável, associada ou não a outros sintomas. Em relação à síndrome do abdome agudo inflamatório, assinale a alternativa incorreta:

A
A dor periumbilical gradual indica irritação peritoneal visceral, como no caso de apendicite aguda, diverticulite ou outros processos inflamatórios. A dor pode tornar-se mais especificamente localizada à medida que a doença evolui.
B
O material calcificado dentro do apêndice (fecalito) é sinal forte de apendicite aguda em pacientes com dor abdominal ao exame radiológico simples do abdome.
C
O sinal do iliopsoas é uma dor no abdome inferior e região do psoas que é aliviada quando a coxa é fletida contra uma resistência.
D
Polisserosite aguda, febre reumática, porfiria e intoxicação crônica por chumbo são causas raras de dor abdominal aguda, fazendo diagnóstico diferencial com possíveis causas cirúrgicas.
E
A amilase sérica deverá ser dosada e se o nível estiver elevado, geralmente indica pancreatite aguda, embora outras doenças cirúrgicas, como trombose mesentérica e úlcera péptica perfurada devam ser aventadas.
Paciente, 34 dias de vida, é levado à consulta de rotina, trazendo o resultado do teste do pezinho, onde se verificou, na eletroforese de Hb, a presença de hemácias F, A e S. A conduta a ser adotada é:
A doença diverticular dos cólons, complicada por episódios de inflamação repetidos, pode evoluir para a formação de fístula entre o segmento de cólon envolvido e outras estruturas abdominais. O local mais frequente de formação de fístula é:
Com o uso prolongado de corticosteroides, são efeitos colaterais esperados, exceto:
Em uma doente com icterícia obstrutiva secundária, a coledocolitíase evolui com febre e confusão mental. Qual conduta apresenta maior possibilidade de sucesso terapêutico?
Compartilhar