Questões na prática

Dermatologia

O aumento na incidência dos casos de carcinoma baso-celular está associado:

A
ao aumento da proporção de pessoas de pele clara na população.
B
à eficiência das campanhas de orientação e prevenção.
C
ao aumento da idade média da população.
D
à migração para a zona urbana de contingentes vindos da zona rural.
E
à lenta evolução do quadro clínico.
Você é chamado na unidade de internação pediátrica para avaliar um lactente de 6 meses, internado por uma pneumonia, que está cianótico. Ele está com máscara não reinalante, com gasping (respiração não eficaz). Você não palpa pulso central. Qual é sua conduta, se tiver alguém para auxiliá-lo?
J.C.S., sexo masculino, 64 anos, recorreu ao Hospital São Paulo em Junho de 2002 na sequência de hematêmeses e melenas com 24 horas de evolução, acompanhadas de um episódio de lipotímia. Neste intervalo de tempo, negava dor abdominal, precordialgia, dispneia e "alterações do trânsito intestinal". Negava consumo de AINEs e terapêutica com agentes anticoagulantes. O doente referia a realização de by-pass aortobifemoral por aneurisma da aorta, intervenção realizada em 1998; e ainda HA controlada com antagonistas dos canais de cálcio. Apresentava-se consciente e colaborante, com palidez de pele e mucosas, hemodinamicamente estável, sem alterações na ausculta cardiopulmonar, bem como no exame abdominal, verificando-se a existência de melenas no toque retal. Analiticamente destacava-se anemia normocrômica normocítica (Hb: 10,5 g/dl - N:12,0 - 15,0 g/dl) e leucocitose com neutrofilia (21,000/L- N:4000 -11,000 - com 86% de PMN). O valor do azoto ureico era normal (8 mg/dl - N:4-16 mg/dl). Foi submetido à endoscopia digestiva alta que além de constatar a existência de sangue digerido e coágulos no lúmen gástrico, verificou uma lesão na 3ª porção do duodeno na qual se observava um coágulo aderente e, na sua porção mais inferior um segmento de uma malha metálica. Qual o seu diagnóstico e melhor conduta?
Homem de 34 anos caiu de uma árvore e teve fratura e luxação no cotovelo esquerdo. Exame físico: ausência de pulsos braquial, radial e ulnar, e perfusão da mão lentificada. A conduta é:
Homem, 32 anos de idade, vítima de acidente de motocicleta há 4 meses com fratura vertebral e lesão da medula espinhal (T4) com paraplegia. Tem sensibilidade abolida abaixo dos mamilos, espasticidade muscular nos membros inferiores com exacerbação dos reflexos patelares. Evoluiu com incontinência urinária em uso de fraldas. Faz uso de sulfametoxazol-trimetoprim profilático. Hoje, a família o trouxe às pressas para atendimento médico em virtude de quadro súbito de cefaleia intensa, mal estar e visão borrada. Exame físico: PA 190 x 110 mmHg, FC = 42 bpm, afebril, eupneico, com sudorese facial, palidez abdominal, rubor acima do nível da lesão medular. O diagnóstico mais provável e a conduta imediata a ser tomada são:
Compartilhar