Questões na prática

Pediatria

Pediatria Geral

O diagnóstico de certeza de infecção urinária no lactente é feito por meio de:

A
história clínica de choro frequente e baixo ganho de peso.
B
reação positiva do nitrito no exame de urina.
C
leucocitúria e reação positiva à leucoesterase no exame de urina.
D
presença de bactérias na cultura de urina coletada por meio de punção suprapúbica.
E
presença de bactérias na cultura de urina coletada por meio de saco coletor.
Analise o quadro de paciente feminina, 37 anos, obesa, fumante e usuária de anticoncepcional oral. Em diversas medições pressóricas, apresentou níveis elevados, com pressão arterial sistólica entre 160 e 180 mmHg e pressão arterial diastólica entre 110 e 120 mmHg. Efetuado MAPA de 24 horas, foi confirmada hipertensão. Ao exame físico, observa-se giba e estrias violáceas em abdome. Marque a alternativa INCORRETA relativamente ao quadro desta paciente.
Analise as seguintes afirmações sobre as alterações fisiológicas da gestação: I -ocorre dilatação ureteral. II - o volume urinário diário não está aumentado. III - o aumento da frequência urinária decorre da compressão exercida pelo útero gravídico na bexiga. Assinale a alternativa correta.
De acordo com a recomendação do Ministério da Saúde, com relação ao pré-natal de baixo risco, é correto afirmar:
Sobre a sífilis congênita, examine as assertivas abaixo: I- As gestantes que recebem tratamento para sífilis primária devem repetir o VDRL em 1, 3, 6, 12, 18 e 24 meses depois de terminado o tratamento, para confirmar a resposta terapêutica, ou até o teste torna-se não reagente. II- É considerado um caso de sífilis congênita todo recém-nascido (RN), cuja mãe teve sífilis não tratada ou inadequadamente tratada, independentemente da presença ou não de manifestações clínicas e/ou laboratoriais. III- O FTA-ABS IgG positivo diferencia a infecção neonatal da infecção materna, sendo imprescindível a realização desse exame em RN de mães tratadas de sífilis. Qual a alternativa correta?
Compartilhar