Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

O que faz proliferar o endométrio no ciclo menstrual?

A
corpo lúteo.
B
estrogênio.
C
folículo.
D
FSH.
E
LH.
Deu entrada no setor de emergência, paciente de 35 anos, Gesta III, Para II, Aborto I referindo febre há 72 horas e dor em baixo ventre, sem disúria ou polaciúria. A função intestinal encontrava-se preservada. Ao exame, apresentava leucorreia purulenta, dor à mobilização uterina e à palpação dos anexos, massa anexial palpável em fossa ilíaca esquerda de aproximadamente 6,5 cm e ausência de irritação peritoneal. O hemograma com 13.500 leucócitos/mm³ e 9% de bastões. USG transvaginal mostrando formação anexial esquerda septada com debris no interior de moderada quantidade de líquido livre em fundo de saco de Douglas. A conduta inicial é:
Jovem de 23 anos queixa-se de excesso de pelos em região facial, e, à ectoscopia, nota-se hirsutismo moderado. Dosagens hormonais revelam testosterona e 17-alfa-hidroxiprogesterona em níveis normais, porém o S-DHEA (sulfato de deidroepiandrosterona) estava bastante elevado. A principal hipótese diagnóstica é:
Internada com pneumonia necrotizante, lactente de 10 meses apresenta atraso de desenvolvimento psicomotor e hiperreflexia generalizada. O hemograma mostrou anemia e plaquetopenia. A história patológica pregressa revela internações por pneumonia e sepse bacteriana. Considerando que a principal hipótese diagnóstica seja infecção pelo HIV, o tipo de teste necessário para confirmá-la é:
A presença de hifas no esfregaço de células vaginais indica:
Compartilhar