Questões na prática

Clínica Médica

Reumatologia

O residente da reumatologia foi chamado para avaliar um paciente masculino de 69 anos em pós-operatório de 24 horas de uma gastrectomia total por neoplasia gástrica. De comorbidades, o paciente apresentava quadro de gota no passado e estava em uso de colchicina 0,5 mg ao dia, antes da cirurgia. Era também hipertenso em uso de hidroclorotiazida 25 mg ao dia. Havia apresentado um aumento súbito e muito doloroso do joelho direito, 12 horas depois do término da cirurgia. Ao exame físico, havia evidência de artrite de joelho direito, com derrame articular, aumento da temperatura e leve hiperemia. O manejo mais adequado desse paciente inclui:

A
reintrodução da colchicina 0,5 mg de hora em hora, punção articular e análise do líquido sinovial.
B
uso de cetoprofeno (um AINH) endovenoso e drenagem do líquido sinovial.
C
uso de colchicina EV, alopurinol via SNG, se já houver trânsito intestinal, e AINH para alívio da dor no joelho.
D
punção articular, análise do líquido sinovial e infiltração com corticoesteroides.
E
punção articular, infiltração com antibióticos e AINH para o alívio da dor.
Quais dos hipoglicemiantes orais são associados à piora do edema de mácula?
A cirurgia de revascularização do miocárdio pode ser realizada com ou sem auxílio de circulação extracorpórea (CEC). Assinale a alternativa cuja situação NÃO representa uma contraindicação absoluta para a cirurgia sem CEC.
Em relação ao carcinoma epidermoide de esôfago, são apresentadas as afirmativas abaixo. I. Neoplasias prévias de trato respiratório e digestivo são fatores de risco para este tipo de câncer. II. A presença de doenças esofágicas pré-existentes, como acalasia e estenose cáustica, aumenta o risco desta neoplasia. III. Os pacientes com diagnóstico de esôfago de Barrett devem ser acompanhados sistematicamente pelo risco aumentado para esta neoplasia. Qual é a alternativa correta?
Paciente, 75 anos de idade, que trabalhou em olaria e fumou dos 15 aos 65 anos de idade, queixa-se de dispneia progressiva há 20 anos. No momento, tem dispneia aos pequenos esforços e períodos de agravamento com tosse e secreção amarelada após gripes ou resfriados. Ao exame físico, apresentava-se em bom estado geral, corado, hidratado, afebril, taquipneico, cianótico e emagrecido. Havia estertores finos bilaterais, redução bilateral e simétrica dos limites pulmonares e baqueteamento digital. O diagnóstico mais provável é:
Compartilhar