Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

O sulfato de magnésio é a droga de escolha para o controle das crises convulsivas ocorridas na eclâmpsia. Assinale a alternativa correta em relação a essa droga.

A
Apesar de não produzir depressão do sistema nervoso central materno, ultrapassa rapidamente a barreira placentária, causando depressão fetal.
B
Sua excreção é primordialmente hepática e, portanto, não poderá ser utilizada nos casos da síndrome HELLP.
C
A verificação do reflexo patelar é bom parâmetro clínico para impedir o efeito tóxico dessa droga, orientando, na sua abolição, a redução na velocidade de infusão da mesma.
D
Seu efeito adverso mais temido é o aumento da contratilidade uterina, ocasionando casos de descolamento prematuro de placenta.
E
A diminuição da diurese materna, observada nos casos de eclampsia, decorrente, dentre outros fatores, da hemoconcentração, não interfere na sua utilização clínica.
Homem, 69 anos, submetido à hernioplastia inguinal de emergência com tela de Marlex, por hérnia inguinoescrotal volumosa encarcerada, com deslizamento de sigmoide, retornou ao ambulatório após uma semana com dor, edema e aumento de volume do testículo ipsilateral. Qual o provável diagnóstico?
A cricotireoidostomia - acesso de via respiratória de emergência, está contraindicada em:
Gestante de 24 anos, com 32 semanas de gestação é trazida a emergência pelo CBERJ com relato de desmaio e crise nervosa em via pública. Ao exame apresenta-se torporosa, pupilas isocóricas e fotorreagentes. Sem sinais de irritação meníngea. PA: 180x120 mmHg, fundo uterino de 32 cm, metrossístoles ausentes, tônus uterino normal, movimento fetal presente, BCF 137 sem desacelerações. Toque colo fechado. Feito cardiotocografia com laudo de feto ativo. A melhor conduta neste caso é:
Paciente de 54 anos realizou mamografia que evidenciou imagem nodular espiculada densa, que na USG é irregular, hipoecogênica, com diâmetro AP > T, com sombra. Fez core biopsia, cujo resultado foi “Alterações fibrocísticas da mama”. O radiologista colocou no laudo com “imagem altamente suspeita”. Qual o próximo passo propedêutico?
Compartilhar