Questões na prática

Clínica Médica

Pneumologia

O tromboembolismo pulmonar (TEP) agudo é situação clínica comum associada à alta morbidade e mortalidade, quando o tratamento não é instituído de forma adequada. Como a sua apresentação clínica é variável, estima-se que 50% dos casos de TEP agudo não são diagnosticados; portanto, é fundamental identificar os doentes em risco, seguir investigação diagnóstica e iniciar o tratamento recomendado. Dado esse contexto, assinale a alternativa INCORRETA:

A
Os sintomas mais comuns são a dispneia e a dor torácica. A repercussão clínica dependerá da extensão da obstrução vascular.
B
O dímero-D tem baixa sensibilidade, porém alta especificidade para seu diagnóstico.
C
Cirurgia abdominal e pélvica, pós-operatório em UTI, puerpério, varizes, TEP prévio comprovado são alguns dos fatores de risco maiores.
D
A angiotomografia de tórax (angioTC) permite visualizar os trombos centrais e periféricos, bem como revelar alterações do parênquima pulmonar, mediastinais ou pleurais que possam justificar o quadro clínico, além de não ser invasiva.
E
O uso de trombolíticos ainda é questionável. Atualmente é indicado no TEP maciço com instabilidade hemodinâmica.
Os marcadores tumorais abaixo relacionados são importantes para o seguimento do câncer de ovário, cólon e pâncreas, RESPECTIVAMENTE:
Dos tipos de hérnias descritos abaixo, os que se referem às hérnias inguinais são:
Leia atenciosamente o caso abaixo para responder a questão: Ana Lúcia, 36 anos, casada, procurou seu médico de família com queixa de humor deprimido, perda de interesse em atividades anteriormente prazerosas, fatigabilidade, ideias de culpa, inutilidade. Quando questionada sobre o futuro, referiu extremo pessimismo, pois não se julgava apta a continuar lecionando Literatura (seu ofício há 12 anos) e, por isso, nutria excessiva culpa. Relatou também alteração do sono e perda do apetite. Ana Lúcia refere episódio depressivo anterior aos 18 anos. Seu pai apresenta história de transtorno bipolar e sua mãe transtorno de ansiedade generalizada. Dr. Fabrício, médico de família e comunidade, ao abordar integralmente o caso de Ana Lúcia, deve levar em consideração, como pilares da abordagem à depressão, exceto:
Com base na premissa abaixo, responda a questão a seguir. Médicos socorristas, plantonistas de prontos-socorros ou mesmo qualquer clínico podem se defrontar em algum momento com situações psiquiátricas de emergência e precisarão fazer uma avaliação mínima para conseguir dar um encaminhamento adequado para aqueles quadros que necessitem de maiores cuidados. Ainda com relação ao tema suicídio, assinale a alternativa verdadeira.
Compartilhar