Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Os procedimentos transluminais percutâneos estão cada vez mais populares entre pacientes e médicos para tratamento da doença isquêmica do miocárdio. Entretanto, as cirurgias abertas de revascularização têm resultados superiores aos procedimentos percutâneos em lesões obstrutivas de:

A
circunflexa.
B
coronária direita.
C
tronco de coronária esquerda.
D
terço distal de descendente anterior.
Criança de cinco meses, sexo masculino, é levada para consulta de puericultura de rotina, com mãe muito preocupada com o desenvolvimento de seu filho que não está com sustento cervical completo e que o filho da vizinha de quatro meses já está todo “durinho”. O pediatra então colhe a história da criança que mostra uma gestação com seis consultas, sorologias da gestante normais e que, com 24 semanas de gestação, a gestação tornou-se de alto risco devido à hipertensão arterial da gestante e que, com 28 semanas, foi necessária a realização de cesariana devido ao descontrole da hipertensão arterial. No relatório da maternidade, mostrou que o RN ficou em ventilação mecânica por quatro dias, recebeu surfactante, teve sepse presumida tratada por 10 dias, avaliação de retina normal e ultrassom transfontanelar normal. No exame do pediatra da puericultura, foi notado um PC: 38 cm, sustento cervical incompleto, sorriso social, tônus adequado, reflexos primitivos todos presentes e criança acompanhava com olhar estímulo de luz nas quatro direções. Frente ao não sustento cervical nessa criança de cinco meses, qual a melhor conduta?
Um paciente em pós-operatório de aneurisma de aorta abdominal evolui com distensão abdominal, oligúria (volume urinário de 200 mL nas últimas 6 horas), esforço respiratório (FR = 33, SatO2 = 89%), taquicardia sinusal (FC = 120 bpm), e hipotensão arterial (PAM = 54 mmHg). A pressão intra-vesical é de 35 mmHg. A conduta apropriada é:
Homem, 45 anos, com cirrose pelo vírus da hepatite C, apresenta aumento do volume abdominal. Está ictérico, desorientado, desnutrido, com PA 100/60 mmHg, FC 86 bpm, ascite volumosa e edema de membros inferiores com cacifo de 4+. Avaliação laboratorial: Na+ 129 mEq/L; K+ 6 mEq/L; albumina 2,6 g/dl; creatinina 3 mg/dl; hemoglobina 9 g/dl. Em relação ao líquido de ascite deste paciente, pode-se afirmar que:
Gestante de 35 semanas apresenta HBsAg positivo no pré-natal. Qual a conduta para evitar a transmissão vertical ao RN?
Compartilhar