Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Infectologia

Os surtos estivais de dengue consolidaram-se em nosso cotidiano nas duas últimas décadas, tendo relação direta com desequilíbrios ambientais que propiciaram crescimento das populações de animais sinantrópicos nos centros urbanos, no caso mosquitos do gênero Aedes. Em geral, as formas não hemorrágicas tendem a ter curso benigno e relativamente constante que, entre outras peculiaridades, inclui:

Um paciente de 42 anos, recentemente internado num leito de UTI, tem diagnóstico sindrômico de choque. Há poucos minutos foi colocado nesse paciente um cateter de Swan-Ganz, que permite medidas invasivas para acessar o tipo de choque corretamente. As medidas observadas permitem perceber as seguintes anormalidades: pressão capilar pulmonar ocluída reduzida, débito cardíaco reduzido e resistência vascular sistêmica aumentada. Com base nesses achados, esse paciente apresenta que tipo de choque?
Em paciente jovem com história de sinusite, hemoptise e pneumonias de repetição, o diagnóstico mais provável é:
Um menino de 8 anos é atendido com quadro de tosse produtiva há 10 dias. Inicialmente apresentou febre por 48 horas, mal estar e cefaleia com tosse seca, sem coriza ou dor de garganta. O Raio X solicitado demonstrou imagem de infiltração intersticial e peribrônquica. A etiologia mais provável para o quadro é:
Assinale a alternativa correta com relação ao abdome agudo na criança:
Compartilhar