Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Paciente, 18 anos de idade, apresenta em avaliação médica de rotina TA: 160 x 110 mmHg. Tem história familiar de hipertensão arterial. Ritmo urinário sem alterações, com urina de aspecto normal. Ao exame, apresenta-se sem outras alterações à exceção de esmagamento nos cruzamentos arteriovenosos na retina e imagem em “chama de vela” na oftalmoscopia. Não há diferença pressórica entre os membros. A medicação que deve ser usada com cautela, nesse paciente, é:

A
propranolol.
B
nifedipina.
C
losartana.
D
diurético tiazídico.
E
clonidina.
Paciente de 25 anos procurou atendimento com médico com náuseas, vômitos, icterícia, dor abdominal em hipocôndrio D e febre de instalação há cinco dias. Durante esse período fez uso de paracetamol e vários anti-inflamatórios para alívio da febre. Os exames laboratoriais mostram: HBsAg negativo, Anti-HbC IgM negativo, Anti-HbC IgG positivo, Anti-Hbs positivo, anti-HVA IgG positivo, TGP 500 U/L (limite superior da normalidade: 40 U/L), TGO 346 U/L (limite superior da normalidade: 36 U/L). O ultrassom abdominal é compatível com hepatomegalia. Qual o diagnóstico mais provável?
As osteocondroses são frequentes na idade escolar e na adolescência, sendo causas de dores nos membros inferiores. A que acomete a tuberosidade anterior da tíbia é conhecida como:
Qual o agente etiológico da BRONQUIOLITE?
O exame intraoperatório de um paciente submetido à correção cirúrgica de hérnia inguinal recidivada revela a protrusão do saco herniário medialmente funículo espermático e um grande alargamento do anel inguinal profundo. Trata-se de hérnia tipo:
Compartilhar