Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Paciente, 32 de idade, G3P1A2, com queixa de irregularidade menstrual desde a menarca, caracterizada por ciclos oligo ou amenorreicos, intercalados por episódios de sangramento uterino disfuncional. Referiu aumento progressivo de peso, intensificado há 10 anos, após o parto (aproximadamente 30 Kg), associado ao aumento de pelos em face e dorso. Ao exame físico: peso = 105 Kg; altura =1,65 m; IMC = 38,6 Kg/m²; cintura = 147 cm; índice de Ferriman = 10; exame ginecológico sem alteração. Qual a hipótese mais provável para o quadro anovulatório dessa paciente?

A
Síndrome de ovários policísticos.
B
Anovulação de origem central.
C
Falência ovariana precoce.
D
Deficiência isolada de gonadotrofinas.
A indicação cirúrgica da obesidade mórbida , baseia-se em múltiplos aspectos clínicos do doente e esta indicação é reforçada por fatores como:
Na estenose pilórica podemos afirmar que:
Na hemorragia digestiva alta não varicosa podemos afirmar: 1) Em cerca de 20 a 30% dos episódios o sangramento gástrico cessa espontaneamente. 2) No tratamento clínico, o jejum deve ser mantido pelo menos por um período de 24 horas independente de ter sido aplicado método terapêutico endoscópico. 3) Lavagem gástrica com soro fisiológico gelado a 10 graus centígrados por sonda nasogástrica, através de sucessivas introduções e retirada de 250 a 500 ml de soro tendo a finalidade de fazer vaso constrição local. 4) O uso de 80 mg em bolo de Omeprazol, seguido de 40 mg de 8 em 8 horas, eleva o pH gástrico acima de 6, diminuindo a taxa de recidiva e de sangramento. 5) O uso de antiácidos com a finalidade de elevar o pH gástrico foi comprovado definitivamente que essa atitude se acompanha de efeitos benéficos.
No paciente com acalasia do cárdia existe a indicação de esofagectomia nos seguintes casos:
Compartilhar