Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Paciente, 32 anos de idade, G1P0A0, com gestação de 31 semanas, vem ao pré-natal referindo que apresentou palpitações, pele quente, insônia, perda de peso, aumento da tireoide e exoftalmia. Traz exames com Ht: 34%, Hb: 11g%, TSH: 0,001, T4 livre: aumentado. Ultrassonografia obstétrica, IG: 31 semanas e 2 dias, ILA: 95 mm, placenta-grau 1, peso fetal de 1000 g, apresenta aumento das medidas da tireoide fetal. Vem em uso de propiltiouracil (PTU) 400 mg/dia. Em relação ao bócio fetal, deve-se:

A
oferecer cordocentese para dosagem de TSH e T4 livre fetais
B
aumentar o PTU já que não está tratando o feto
C
usar levotiroxina intra-amniótica
D
interromper a gestação assim que descoberto
E
tratar o feto só após o nascimento
Uma paciente de 36 anos apresenta dor abdominal e diarreia crônica associada à enterorragias paroxísticas. Durante a entrevista médica, os dados obtidos à anamnese e ao exame físico permitiram formular a hipótese diagnóstica de uma doença inflamatória intestinal. Os dados abaixo anotados foram assinalados pelo médico assistente. Todos sugeriam como mais provável o diagnóstico de doença de Crohn, EXCETO (mais sugestivo de retocolite ulcerativa):
Escolar de 9 anos apresenta tosse produtiva há 4 semanas. Refere ter apresentado astenia, febre baixa e coriza nos primeiros 2 dias. Evoluiu com otalgia no terceiro dia e foi medicado com Amoxicilina por 7 dias com melhora, porém a tosse persistiu e se tornou coqueluchoide. Nega febre, coriza nas últimas semanas. Ao exame: BEG, corado, eupneico, afebril, com roncos e ESC em bases. RX de tórax com padrão broncopneumonico na base D. O provável agente etiológico e tratamento são:
Normalmente os primeiros sinais de puberdade no sexo masculino e feminino são respectivamente:
Nas icterícias obstrutivas qual exame de imagem deve ser feito inicialmente:
Compartilhar