Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Paciente, 32 de idade, G3P1A2, com queixa de irregularidade menstrual desde a menarca, caracterizada por ciclos oligo ou amenorreicos, intercalados por episódios de sangramento uterino disfuncional. Referiu aumento progressivo de peso, intensificado há 10 anos, após o parto (aproximadamente 30 Kg), associado ao aumento de pelos em face e dorso. Ao exame físico: peso = 105 Kg; altura =1,65 m; IMC = 38,6 Kg/m²; cintura = 147 cm; índice de Ferriman = 10; exame ginecológico sem alteração. Qual a hipótese mais provável para o quadro anovulatório dessa paciente?

A
Síndrome de ovários policísticos.
B
Anovulação de origem central.
C
Falência ovariana precoce.
D
Deficiência isolada de gonadotrofinas.
Jovem de 17 anos, sexo feminino, é trazida ao ambulatório de Clínica Médica pelos pais. A queixa é de comportamento 'fora dos padrões' e solicitam investigação adequada. Referem que há cerca de dois anos a mesma apresenta hábitos alimentares aberrantes, chegando a comer '10 pacotes de batatas fritas e incontáveis biscoitos e bombons de chocolate' em um dia. Após este 'dia de farra de comida' (referência dada pelos pais), passa de dois a três dias em intensa atividade física na academia de musculação - com sessões de 6 a 8 horas diárias - sem alimentar-se ou ingerir líquidos adequadamente. Esses ciclos alternantes vêm se repetindo 2 a 3 vezes por semana por pelo menos 6 meses. Durante entrevista, a paciente confirmou as informações dadas pelos pais e referiu que come exagerado por perder o controle, mas que sente-se extremamente infeliz após tais episódios. Relata que se acha um pouco acima do peso, mas nega indução de vômitos ou uso de laxantes em qualquer época. Nega alucinações visuais ou auditivas. A avaliação mostrou plena orientação pessoal, temporal e espacial; o índice de massa corpórea era de 26 kg/m²; as mucosas estavam levemente ressecadas; demais aspectos do exame físico estavam normais. Foi realizada avaliação bioquímica que não demonstrou alterações. Com base nestes dados, qual o diagnóstico mais provável?
Paciente 65 anos, sem co­morbidades prévias, no segundo dia de pós-operatório de gastroduodenopancratectomia apresenta-se adinâmico, com fraqueza muscular generalizada. Dentre os exames realizados para investigação do quadro o eletrocardiograma mostrava ritmo sinusal, porém com intervalo PR prolongado e onda T apiculada. Hipótese diagnóstica mais provável?
Sobre lombalgia mecânica é CORRETO afirmar:
Paciente de 45 anos tem otorreia fétida, constante e bilateral há meses, sem otalgia. Começou a apresentar febre e rebaixamento do nível de consciência há 2 dias. O diagnóstico provável e a sequência mais correta na conduta serão:
Compartilhar