Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Paciente, 35 anos de idade, negra, nuligesta, obesa, diabética e tabagista, vem ao consultório médico para avaliação de rotina. Nega fluxo patológico genital. Refere fluxo menstrual de 28 a 30 dias/3 a 5d/++. Ao exame físico, TA: 120 X 70 mmHg, PR: rítmico e cheio, com 65 bpm. Abdome plano flácido e não doloroso à palpação. Trouxe preventivo normal. USG: útero aumentado de volume à custa de 2 nódulos miomatosos, um subseroso e outro intramural, medindo o maior 2,0 cm x 1,8 cm. Volume uterino de 126 cm³. Ovários de volume e ecotextura habituais. Deseja engravidar futuramente. A melhor abordagem dos miomas no caso em questão é:

A
histerectomia total abdominal
B
miomectomia laparoscópica
C
conduta expectante com acompanhamento ultrassonográfico
D
miomectomia laparotômica
E
embolização uterina
Um homem de 35 anos apresenta episódio autolimitado de diarreia, surgindo, algumas semanas depois, um quadro de poliartrite assimétrica de membros inferiores, dáctil e nos pododáctilos, tendinite do aquileu, lesões superficiais, eritematosas e indolores no pênis. Constata-se que apresenta também uma sacroileíte assintomática e conjuntivite bilateral. Um exame de sangue mostra HLA-B27. O diagnóstico provável deste caso é:
Dentre as assertivas abaixo, a que não causa cirrose e/ou hepatopatia crônica é:
Para o diagnóstico diferencial das síndromes disabsortivas, podemos destacar como teste mais importante:
Paciente deu entrada no PS com história de trauma recente no abdome superior. À inspeção apresenta sinal de Cullen. A hipótese diagnóstica provável é de:
Compartilhar