Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Paciente, 35 anos de idade, negra, nuligesta, obesa, diabética e tabagista, vem ao consultório médico para avaliação de rotina. Nega fluxo patológico genital. Refere fluxo menstrual de 28 a 30 dias/3 a 5d/++. Ao exame físico, TA: 120 X 70 mmHg, PR: rítmico e cheio, com 65 bpm. Abdome plano flácido e não doloroso à palpação. Trouxe preventivo normal. USG: útero aumentado de volume à custa de 2 nódulos miomatosos, um subseroso e outro intramural, medindo o maior 2,0 cm x 1,8 cm. Volume uterino de 126 cm³. Ovários de volume e ecotextura habituais. Deseja engravidar futuramente. Na embolização uterina para tratamento de miomas, o exame que melhor avalia a sua celularidade e vascularização é:

A
tomografia computadorizada
B
ultrassonografia transvaginal
C
ressonância magnética
D
ultrassonografia transvaginal com Doppler colorido
E
histerossalpingografia
As infecções do trato urinário são comuns durante a gestação e a bacterirúria assintomática é a forma mais frequente. De um modo geral, o germe habitualmente mais encontrado neste tipo de infecção é:
Paciente de 30 anos foi submetida há 4 dias à operação cesariana por parada de progressão e desproporção cefalopélvica em gestação a termo. Na história clínica a amniotomia ocorreu 2 horas antes do nascimento. Há 48 horas vem apresentando queda do estado geral, cansaço e febre de 39º C. Ao exame físico, além da febre, identifica-se útero amolecido com seu fundo 2 cm abaixo da cicatriz umbilical, doloroso à palpação e com lóquios amarelados, espessos e fétidos. As mamas e a ferida operatória estão com aspecto normal. Neste quadro a infecção puerperal é compatível com:
No acompanhamento do trabalho de parto podemos detectar, através do partograma:
Paciente de 45 anos e sem co-morbidades apresenta quadro clínico de sangramento uterino anormal há 40 dias, de forma intermitente e de média intensidade. Ao exame clínico geral apresenta palidez cutâneo- mucosa de 2+/4+, eupneica, com ritmo cardíaco regular, sopro holossistólico de 1+/6+ pressão arterial de 130x90mmHg e frequência cardíaca de 98 bpm. Ao exame pélvico apresenta útero de volume normal sangrando com eliminação de coágulos. A dosagem de hemoglobina é de 7,0g%. Diante deste quadro a conduta mais adequada é:
Compartilhar