Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Paciente, 40 anos de idade, apresentou secreção sero-hemática à expressão mamária, uniductal, unilateral. O exame palpatório das mamas foi normal. Não faz uso de fármacos. A mamografia e a ultrassonografia das mamas também não revela anormalidades. A conduta inicial é:

A
realizar ressonância magnética das mamas.
B
indicar ductografia.
C
fazer reavaliação em seis meses.
D
realizar setorectomia com retirada do ducto envolvido.
E
realizar punção aspirativa.
Um recém-nascido de parto vaginal há 36 horas apresenta quadro de conjutivite com edema e secreção purulenta em ambos os olhos. Não há evidências clínicas e/ou laboratoriais de doença disseminada. Foi coletada secreção ocular para realização de bacterioscopia pelo Gram e cultura. Qual é a descriçao da bacterioscopia esperada para este caso?
Sobre as “tonturas” e as “vertigens”, marque com “C” (correta) ou “I” (incorreta) as assertivas e escolha a alternativa correta: I. A doença de Ménière é constituída por crises vertiginosas acompanhada de zumbidos e diminuição da audição de duração variável II. A vertigem postural paroxística benigna é uma condição clínica na qual ocorre vertigem com ou sem nistagmo, estritamente dependente da postura do paciente. III. A tontura é em geral resultado da redução transitória do fluxo sanguíneo cerebral e é relatada como a sensação de vazio na cabeça ou desiquilíbrio ou ainda iminente desmaio. IV. A vertigem é sempre de natureza labiríntica e causada pelo deslocamento da endolinfa secundária aos menores deslocamentos da cabeça e é causa da perda de equilíbrio, às vezes com queda, sudorese, náuseas, vômitos ou zumbidos. (PORTO CC, PORTO AL. Sinais e Sintomas. Em: PORTO & PORTO. Exame clínico. ABDR. 2016.)
Um homem com 39 anos de idade, hipertenso há 12 anos, submetido à colecistectomia eletiva por videolaparoscopia sem intercorrências, com alta após 2 dias da cirurgia, procura atendimento hospitalar, relatando que, no dia seguinte ao da alta hospitalar, apresentou sangramento nasal espontâneo contínuo. Informa ter feito compressão externa com os dedos e deixado a cabeça inclinada para trás por uma hora, porém sem efeito. O exame físico do paciente evidencia: pressão arterial = 180 x 120 mmHg e presença de epistaxe moderada em narina esquerda. Ao exame da orofaringe, observa-se ausência de sangramento visível. Nessa situação clínica, se, após avaliar a via aérea do paciente, o médico realizar compressão externa nasal por 20 minutos, administrar medicação anti-hipertensiva e, ainda assim, o paciente persistir com o quadro de epistaxe, a conduta médica adequada seria realizar
Paciente de 25 anos, com espondilite anquilosante, relata episódios de "olho vermelho". Queixa-se de dor ocular à esquerda, de intensidade moderada e severa, fotofobia local e leve diminuição da acuidade visual. À inspeção simples do olho esquerdo, é possível observar miose e hiperemia conjuntival predominantemente pericerática, sem secreção ocular. A investigação oftalmológica deve levar ao diagnóstico de:
Compartilhar