Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Hematologia

Paciente, 5 anos de idade, em tratamento de leucemia linfoide aguda há 6 meses. Há 6 horas, apresentou quadro de coriza hialina e febre 38,5°C, 1 pico isolado que cedeu com uso de dipirona. Sem outras queixas. Último ciclo de quimioterapia há 1 semana. Ao exame: BEG, descorado (+/++++), acianótico, anictérico, sem edemas. Boca e ouvido: s/alterações. FR: 26 irpm; murmúrio vesicular simétrico, sem ruídos adventícios; FC: 108 bpm; bulhas rítmicas, normofonéticas, sem sopros; abdome normotenso, sem visceromegalia; ruídos hidroaéreos presentes e normoativos. Sem sinais meníngeos. Hemograma: Hb = 8,6 g/dl; GB = 1.200/mm³ (12% segmentados e 88% linfócitos). Plaquetas: 68.000/mm. A conduta é:

A
internação imediata, observação rigorosa e antibioticoterapia endovenosa de amplo espectro.
B
manutenção de antitérmico e observação domiciliar, com retorno em 24 horas para reavaliação ou antes, se piora do quadro.
C
amoxacilina 50 mg/kg/dia de 8/8 horas por 7 dias.
D
solicitar radiografia de tórax, ultrassom de abdome, culturas e definir conduta após resultados de exames.
Um paciente apresenta um quadro de queda do estado geral e desconforto abdominal em andar superior. Refere febre diária e o exame físico permite a palpação de um hepatomegalia com defesa voluntária. A ultrassonografia abdominal revela uma lesão intra-hepática de lobo D com 5 cm de diâmetro com nível hidroaéreo. O hemograma mostra 23 mil leucócitos com granulações grosseiras de neutrófilos. A principal origem desta complicação piogênica é:
Paciente portador de endocardite bacteriana apresenta quadro de dor abdominal no quadrante superior esquerdo e esplenomegalia. A tomografia computadorizada de abdome mostra coleção intraesplênica multiloculada com nível hidroaéreo. O tratamento correto é:
Paciente de 35 anos, vítima de acidente automobilístico, é trazido ao setor de emergência. Ele está alerta e tem evidência de contusão em região frontal e parede torácica direita com crepitação local. Está imobilizado em prancha longa com colar cervical e recebe oxigênio sob máscara. Fala que não consegue respirar. Sua saturação de O2 é 80%. A conduta adequada é:
Paciente politraumatizado dá entrada na emergência com glasgow de 8. Realizou TC Crânio que mostrou hematoma extra-dural. Durante uma cirurgia para drenagem apresentou hipotensão recorrente e taquicardia. Não há evidência de hemorragia externa. A conduta adequada é:
Compartilhar