Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Hematologia

Paciente, 5 anos de idade, em tratamento de leucemia linfoide aguda há 6 meses. Há 6 horas, apresentou quadro de coriza hialina e febre 38,5°C, 1 pico isolado que cedeu com uso de dipirona. Sem outras queixas. Último ciclo de quimioterapia há 1 semana. Ao exame: BEG, descorado (+/++++), acianótico, anictérico, sem edemas. Boca e ouvido: s/alterações. FR: 26 irpm; murmúrio vesicular simétrico, sem ruídos adventícios; FC: 108 bpm; bulhas rítmicas, normofonéticas, sem sopros; abdome normotenso, sem visceromegalia; ruídos hidroaéreos presentes e normoativos. Sem sinais meníngeos. Hemograma: Hb = 8,6 g/dl; GB = 1.200/mm³ (12% segmentados e 88% linfócitos). Plaquetas: 68.000/mm. A conduta é:

A
internação imediata, observação rigorosa e antibioticoterapia endovenosa de amplo espectro.
B
manutenção de antitérmico e observação domiciliar, com retorno em 24 horas para reavaliação ou antes, se piora do quadro.
C
amoxacilina 50 mg/kg/dia de 8/8 horas por 7 dias.
D
solicitar radiografia de tórax, ultrassom de abdome, culturas e definir conduta após resultados de exames.
De acordo com a contagem de colônias na urina, podemos afirmar tratar-se de I.T.U. quando temos:
Gestante em período expulsivo, com feto macrossômico, uma vez liberado o polo cefálico, apresenta encravamento da cintura escapular (distócia de ombro) com consequente dificuldade para extração fetal. Considerando esse contexto, qual é a primeira manobra a ser realizada para resolução da distócia?
Os principais fatores que influem na resposta clínica de cada indivíduo portador de anemia não incluem um dos itens abaixo:
Nas hipercalcemias associadas a doenças granulomatosas, como tuberculose, sarcoidose ou ainda nos linfomas, o mecanismo fisiopatológico é:
Compartilhar