Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Pediatria

Ginecologia

Paciente, 52 anos, faz mamografia de rotina e aparece área de densidade assimétrica no QSE esquerdo. Durante a mamografia, o radiologista mandou que ampliasse aquela área com compressão para ver o seu comportamento. A área de densidade assimétrica permaneceu. Esta área, ao exame clínico, não tem maior expressão. A ultrassonografia de mama mostrou área ecogênica densa com discreta sombra. A conclusão da mamografia foi Categoria 4 (altamente suspeita); na ultrassonografia a conclusão foi BI-RADS 4. Foi então indicada core biopsia, que foi realizada. O resultado histopatológico foi inconclusivo pedindo para continuar a pesquisa. Qual deve ser o próximo passo?

A
Aguardar e repetir a mamografia em seis meses.
B
Localizar a área por estereotaxia e proceder a biopsia incisional.
C
Se a área não tem expressão clínica, repetir mamografia em um ano.
D
Densidade assimétrica não tem nenhum significado propedêutico.
E
A palpação não tem maior expressão, o exame de core biopsia foi inconclusivo, fazer então acompanhamento clínico.
O quadro de Delirium, no idoso, deve ser tratado farmacologicamente com:
O cisto pilonidal é uma das patologias mais comum em homens hirsutos. Cisto esse que tem origem na região pré-sacral, no sulco interglúteo, sendo causa de processos infecciosos recorrentes na região, com drenagem de secreção purulenta espontânea e formação de um ou mais trajetos fistulosos. Essa doença ficou conhecida e foi descrita na segunda guerra mundial como:
Uma paciente de 78 anos, com pneumonia, foi internada devido a um quadro confusional agudo: agressividade alternada com lucidez, associada com déficit de atenção, alteração do ciclo sono-vigília, com delírios visuais noturnos. A paciente é portadora de bronquite crônica, segundo os familiares, e sem outras comorbidades. Podemos afirmar que se trata de:
É causa de fratura do colo femoral em idosos:
Compartilhar