Questões na prática

Clínica Médica

Pneumologia

Paciente, 75 anos de idade, que trabalhou em olaria e fumou dos 15 aos 65 anos de idade, queixa-se de dispneia progressiva há 20 anos. No momento, tem dispneia aos pequenos esforços e períodos de agravamento com tosse e secreção amarelada após gripes ou resfriados. Ao exame físico, apresentava-se em bom estado geral, corado, hidratado, afebril, taquipneico, cianótico e emagrecido. Havia estertores finos bilaterais, redução bilateral e simétrica dos limites pulmonares e baqueteamento digital. O diagnóstico mais provável é:

A
Bronquiectasias.
B
Doença pulmonar obstrutiva crônica.
C
Silicose pulmonar.
D
Fibrose pulmonar idiopática.
Paciente feminina, 42 anos, com história familiar de dislipidemia, vem à consulta com os seguintes exames: colesterol total = 320 mg/dL; HDL = 32 mg/dL; triglicerídios = 655 mg/dL. Qual a conduta mais adequada?
Primigesta, 33 anos, chega ao pré-natal com 28 semanas de gestação, considerada a data da última menstruação. Ainda não realizou nenhum exame complementar. Na realidade, esta é a primeira vez que vai a um médico. Ao exame físico, constata-se feto único, FU: 26 cm, BCF: 144 bpm, regular, e PA: 160 x 100 mmHg. O exame destinado a fazer o diagnóstico diferencial entre Doença Hipertensiva Específica da Gravidez (DHEG) e hipertensão crônica é:
Considerando os medicamentos secretogogos da insulina indicados no tratamento do diabetes, o que apresenta ação mais rápida e duração mais curta é:
Paciente com 45 anos de idade, em terapia de reposição hormonal e com mamografia Bi-RADS zero. Deve-se:
Compartilhar