Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Ginecologia

Paciente admitida no pronto-atendimento com sangramento genital, dor em baixo ventre, e atraso menstrual de 2 meses. Ao exame, apresentava pressão arterial de 90 x 50 mmHg, descorada +2/+4, com sudorese, pulso arterial de 100 bpm, e sangramento pelo orifício externo do colo de moderada quantidade. Ao toque vaginal, o colo estava impérvio com útero discretamente aumentado. Realizado teste de gravidez qualitativo na urina que revelou resultado positivo. Com bases nesses dados, é possível formular a(s) seguinte(s) hipótese(s) diagnóstica(s), dentre as síndromes hemorrágicas do primeiro semestre da gravidez:

A
está descartada a hipótese de prenhez ectópica, porque não foi descrita massa anexial ao exame físico.
B
está descartada a hipótese de doença trofoblástica gestacional, porque não foi observada a saída de vesículas pelo orifício externo do colo uterino.
C
não é possível se tratar de abortamento incompleto, porque não há dilatação do colo uterino.
D
se fosse prenhez ectópica, haveria obrigatoriamente descrição de dor ao toque do fundo de saco de Douglas.
E
com base nos dados apresentados, não é possível descartar prenhez ectópica, abortamento ou doença trofoblástica gestacional.
Com relação ao fibroadenoma é correto afirmar que:
Paciente em investigação de infertilidade primária se recusa a realizar o exame de histerossalpingografia solicitado pelo médico assistente. A mesma alega que o exame é muito doloroso e já havia recebido o diagnóstico de Síndrome Anovulatória Crônica há 05 (cinco) anos. Sobre o caso pode–se afirmar:
Das condições abaixo, qual delas NÃO está relacionada à deficiência de vitamina K e ao aumento do risco hemorrágico:
Neuza, 42 anos, operada há um ano à colecistectomia videolaparoscópica, refere episódios de náuseas e dor em cólica em hipocôndrio direito. Refere colúria durante a última crise dolorosa há 1 semana. Exame físico: corada, anictérica, abdômen flácido, pouco doloroso à palpação em epigástrio e hipocôndrio direito. A ultrassonografia mostrou ausência de dilatação da via biliar. Qual o melhor exame a ser realizado em relação ao caso:
Compartilhar