Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Nefrologia

Paciente, branco, sexo masculino, iniciou, aos 3 anos e 11 meses, edema progressivo até anasarca, em 2 semanas. A genitora relata aumento de 3 kg. Antecedentes pessoais não significativos. História familiar: mãe e tio maternos albinos. Ao exame físico, apresentava-se normotenso, com edema generalizado, peso de 23 kg, altura de 107 cm. Os exames complementares iniciais revelaram hipoalbuminemia de 1,4 g/dl e proteinúria de 4,7 g/dia. O diagnóstico mais provável é:

A
síndrome nefrótica.
B
citomegalia.
C
tuberculose renal.
D
AIDS/SIDA.
E
síndrome nefrítica.
Todas as cardiopatias congênitas abaixo podem ser classificadas como cardiopatias cianóticas, EXCETO:
Uma criança de 3 anos vinda de uma comunidade que não usa vacina em seus filhos, chega a emergência com breve história de dor de garganta, dor a deglutição, febre alta e estridor inspiratório, dando a impressão de toxemia, inclinando a cabeça para diante e não consegue deglutir as secreções. Qual a sua conduta:
Lactente de 67 dias de vida aguarda cariograma para confirmar diagnóstico de trissomia do cromossomo 21 e tem, na sua forma total, diagnóstico ecocardiográfico da cardiopatia congênita mais encontrada nesta síndrome. As anormalidades no exame físico, decorrentes da cardiopatia, mais esperadas são:
Homem, 38 anos de idade, é admitido no pronto atendimento com mal-estar caracterizado como dispneia, sensação de morte iminente, parestesia perioral, taquicardia e sudorese. Teve mais três episódios similares nos últimos dois meses, tendo sido atendido em emergências e liberado. Nega tabagismo, bebe eventualmente aos fins de semana. Nega hipertensão ou diabetes. Ao exame físico, TA 130 X 80 mmHg, PR: 110 bpm cheio e rítmico, FR: 30 ipm, profundas. Glicemia capilar: 89 mg/dl. Saturação de O² ao ar ambiente 98%. ECG: taquicardia sinusal. Com relação ao quadro apresentado, é falso afirmar:
Compartilhar