Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Paciente chega ao pronto socorro queixando de sangramento transvaginal há quatro dias. Informa que iniciou piora da quantidade de fluxo há três horas associada com uma dor de forte intensidade e que depois houve melhora da dor com diminuição do sangramento. Apresentava atraso menstrual de sete semanas, não usava método contraceptivo, é casada e secundigesta. Ao exame físico: colo fechado, sangramento transvaginal de discreta quantidade, útero de volume menor que o correspondente á idade gestacional. Assinale a alternativa que contém o diagnóstico e a conduta respectivamente.

A
Abortamento inevitável. Dilatação e esvaziamento por sucção (AMIU) ou curetagem.
B
Ameaça de abortamento. Repouso, controle com ultrassonografia transvaginal e pré-natal.
C
Abortamento incompleto. Dilatação e esvaziamento por sucção (AMIU) ou curetagem.
D
Aborto completo. Controle com ultrassonografia transvaginal para confirmar “útero vazio”.
E
Abortamento Oculto. Controle com ultrassonografia transvaginal e dilatação e esvaziamento por sucção (AMIU) ou curetagem se for necessário.
Sebastião, 70 anos, está acamado há 3 meses por fratura de fêmur. Dá entrada no PS por dispneia súbita e dor pleurítica. ECG é normal. Rx de tórax é normal. Gasometria arterial demonstra hipoxemia. A principal hipótese diagnóstica é:
São indicações absolutas para cirurgia de amidalectomia:
Paciente, com 20 anos de idade primigesta, em segmento pós-tratamento de mola hidatiforme completa, apresenta três medidas semanais de ?hCG em elevação. A ultrassonografia da pelve mostra área miometrial hipervascularizada e cavidade uterina com conteúdo sugestivo de coágulos. Devemos realizar:
Mulher, 56 anos de idade, será submetida à laparotomia exploradora para ressecção de neoplasia maligna de cabeça do pâncreas, prevendo-se realizar uma antroduodenopancreatectomia. Qual a classificação do risco de Tromboembolismo Venoso (TEV) e a conduta?
Compartilhar