Questões na prática

Psiquiatria

Psiquiatria

Paciente com 17 anos de idade, primípara, encontra-se no 7º dia pós-parto e permanece internada no alojamento conjunto, acompanhando seu recém-nascido, em tratamento de sepse neonatal. Nesse período, a paciente começa a apresentar quadro de insônia, delírios de grandeza, alternados com manifestações paranoides. Diz que ouve vozes e vê sombras que querem pegá-la e trocar seu bebê. Durante o dia, apresenta agitação psicomotora ininterrupta. Ela não apresenta nenhum sintoma associado a infanticídio ou ideário negativo em relação à sua maternidade, mas diz que prefere morrer a ser "pega pelas sombras". A família nega qualquer quadro anterior semelhante. Baseado na sintomatologia apresentada, o diagnóstico é:

A
disforia pós-parto.
B
psicose pós-parto.
C
depressão pós-parto.
D
transtorno de ansiedade.
E
transtorno bipolar (psicose maníaco-depressiva).
É uma Síndrome hipotônica e hipercinética caracterizada por movimentos involuntários, rápidos, arrítmicos e incoordenados que desaparecem durante o sono associados à doença Streptocócica:
A dor difusa é um sintoma muito comum na prática diária do clínico geral e do reumatologista. Muitos destes pacientes possuem fadiga severa, sono não restaurador e desordens funcionais viscerais que podem caracterizar a fibromialgia. Em relação a essa doença, assinale a alternativa correta:
BSC, de 65 anos, sexo masculino, tem quadro arrastado (seis meses) de alteração da força muscular, que iniciou na perna esquerda, com dificuldades de levantar o pé e, após três meses, a outra perna também estava fraca. Há um mês, os sintomas pioraram, aparecendo fraqueza do braço esquerdo e alteração da voz. Ao exame, notam-se atrofia muscular, sensibilidade normal, hiperreflexia global a fasciculação. O diagnóstico do quadro descrito é:
Uma mulher de 25 anos de idade chega ao hospital com quadro de dor abdominal difusa, principalmente em andar superior, e vômitos há três dias, com piora progressiva nas últimas 24 horas. Relata também frequentes episódios de dor abdominal após a alimentação nos últimos meses, com remissão espontânea. Refere uso de contraceptivo oral desde os 14 anos e nega outras comorbidades. Ao exame físico, não se encontram alterações, exceto a dor abdominal moderada em andar superior, sem dor à descompressão brusca. Foi realizada tomografia computadorizada com contraste venoso que mostrou distensão de estômago e duodeno, com inversão dos vaso mesentéricos superiores e ausência do processo uncinado do pâncreas. Com base na situação apresentada, o diagnóstico da paciente é:
Compartilhar