Questões na prática

Clínica Médica

Ginecologia e Obstetrícia

Endocrinologia

Obstetrícia

Paciente, com 21 anos de idade, com diagnóstico de diabetes há 3 anos medicada com insulina. Foi verificada hemoglobina glicada de 10% no mesmo dia em que foi diagnosticada a gestação por atraso menstrual de 3 semanas, ocasião em que procurou assistência. Em relação ao risco fetal e ao controle da glicemia, é verdade dizer que:

A
há maior risco de malformações do concepto mesmo com controle glicêmico a partir deste momento.
B
há maior risco de polidrâmnia mesmo com controle glicêmico a partir deste momento.
C
se a glicemia média se mantiver em 126, a partir deste momento, o risco de macrossomia será menor.
D
se a glicemia, 2 horas após a refeição, for menor que 100 até o nascimento, o risco de hipoglicemia neonatal será maior.
E
se a glicemia ficar controlada no último mês antes do nascimento, o concepto não deverá ser macrossômico.
Paciente, 5 anos de idade, em tratamento de leucemia linfoide aguda há 6 meses. Há 6 horas, apresentou quadro de coriza hialina e febre 38,5°C, 1 pico isolado que cedeu com uso de dipirona. Sem outras queixas. Último ciclo de quimioterapia há 1 semana. Ao exame: BEG, descorado (+/++++), acianótico, anictérico, sem edemas. Boca e ouvido: s/alterações. FR: 26 irpm; murmúrio vesicular simétrico, sem ruídos adventícios; FC: 108 bpm; bulhas rítmicas, normofonéticas, sem sopros; abdome normotenso, sem visceromegalia; ruídos hidroaéreos presentes e normoativos. Sem sinais meníngeos. Hemograma: Hb = 8,6 g/dl; GB = 1.200/mm³ (12% segmentados e 88% linfócitos). Plaquetas: 68.000/mm. A conduta é:
Qual a MELHOR escolha, entre as drogas abaixo, para tratamento de paciente do sexo masculino, de 70 anos, portador de hipertensão arterial sistêmica, insuficiência cardíaca (classe funcional III) e insuficiência renal crônica não dialítica (clearance de creatinina = 35 ml/min), que tem glicemias de jejum acima de 200 mg/dl, em três ocasiões distintas, já com dieta para diabético?
Uma jovem é encontrada na sua casa desacordada e é levada para um Pronto Atendimento. Ao exame, apresenta-se com febre (T axilar 38,5°C), confusa, desorientada, com pupilas isocóricas e fotorreagentes, sem rigidez de nuca, e com hemiparesia desproporcional direita. Foi realizado um exame de tomografia computadorizada de crânio que observou lesão hiperdensa em região do lobo temporal esquerdo sem desvio da linha média. Foi realizada uma punção liquórica que evidenciou os seguintes achados em líquido cefalorraquidiano (LCR): celularidade 120 leucócitos, 80% linfócitos, 0 hemácias, 20% neutrófilos, proteína de 50 mg/dl, glicose 88 mg/dl, Pandy negativo, bacterioscopia negativa. Frente a estes achados a conduta CORRETA é:
Cardiomiopatia dilatada é:
Compartilhar