Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Cardiologia

Nefrologia

Paciente com 40 anos de idade, com diagnóstico de hipertensão há três anos, que evoluiu com dificuldade de controle pressórico e hipocalemia persistente sem causa aparente. Na investigação para hiperaldosteronismo primário, os seguintes resultados foram obtidos: aldosterona plasmática em repouso: 36 ng/ml (VR: 1-16): atividade plasmática de renina: 0,08 ng/ml/hora (VR: 0,4- 0,7): aldosterona plasmática ao teste da postura: 36 ng/dl. Na tomografia computadorizada de abdome, nenhuma massa adrenal foi visualizada. Qual seria o diagnóstico mais provável para essa paciente?

A
Adenoma produtor de aldosterona (APA)
B
Hiperaldosteronismo idiopático (HAI)
C
Hiperaldosteronismo supressível com glicocorticoide
D
Hiperplasia adrenal primária
Mulher de 33 anos é trazida ao Pronto Socorro pelo marido com agitação psicomotora há doze horas. O marido relata que ela tem estado muito irritada há dois dias por acreditar que vem sendo traída. Conta que sempre foi uma pessoa normal e que nunca chegou a ficar da maneira que se encontra agora (chegou a jogar objetos domésticos, como pratos e copos, pela janela). Por fim relata estarem passando por uma crise no casamento. A paciente diz ter certeza da traição pelo fato do marido ter passado a chegar todo dia mais cedo em casa. A melhor conduta inicial, neste caso, seria:
Um menino de dois anos de idade teve uma convulsão febril vem ao seu consultório um dia após ter sido atendido no serviço de emergência. Ele está afebril no momento, ativo. Sua mãe informa que ele está tomando antibióticos para uma otite diagnosticada na véspera. Ela deseja saber o que esperar no futuro a respeito de sua situação neurológica. Você diz para ela:
Paciente 06 anos de idade, sexo masculino, deu entrada no PS com queixa de dor testicular de início súbito, de forte intensidade, apresentando elevação do testículo na hemibolsa esquerda, doloroso ao toque, com edema local, apresentando 04 horas de evolução. Qual a conduta:
Fármacos do grupo dos benzodiazepínicos e fenotiazínicos melhoram os sintomas comportamentais nos pacientes com quadros demenciais, porém possuem como efeitos colaterais:
Compartilhar