Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

Paciente com 40 semanas de gestação é submetida a parto vaginal, com período expulsivo prolongado. Neonato nasce com gasping, cianose central e com hipoatividade.Qual a melhor conduta na assistência a esse recém-nascido?

A
Iniciar ventilação com pressão positiva com balão, máscara e oxigênio a 100%, após colocar o neonato em calor radiante.
B
Iniciar ventilação com pressão positiva com tubo traqueal e massagem cardíaca de forma integrada.
C
Iniciar os passos iniciais da reanimação e avaliar respiração, frequência cardíaca e cor para determinar a ação a ser instituída.
D
Iniciar ventilação com pressão positiva e oxigênio a 100% por tubo traqueal nº 3,5
E
Iniciar oxigênio inalatório e estímulo tátil com piparotes nos pés, após colocar em fonte de calor radiante.
A ocorrência de corpos estranhos localizados nas cavidades nasais, nas orelhas e na orofaringe é motivo de frequentes consultas em serviços de emergência. Sobre esse tipo de ocorrência, é correto afirmar:
Paciente de 19 anos, sexo feminino, deu entrada na Sala de Reanimação do Hospital com quadro de confusão mental, febre (39ºC), queda do estado geral e cansaço aos mínimos esforços há dois dias. Acompanhante relata o início súbito dos sintomas. Há dois dias a paciente estava hígida e não havia antecedentes dignos de nota. O exame físico demonstra palidez cutânea mucosa, confusão mental e rebaixamento do nível de consciência, sem outras alterações. Exames complementares: Hb/Ht: 8,5/26 (VCM: 85/HCM: 28); leucócitos: 20.000 (meta: 0/bast: 3/segmentados: 65/eosinófilos: 2/basófilos: 1/linfócitos: 25/monócitos:4%); plaquetas: 98.000; ureia/creatinina: 180/2,2; Na/K: 145 mEq/L/4, 4 mEq/L; glicose: 98 mg/dl; DHL: 1080; VHS 110. Análise morfológica do sangue periférico revela anisocitose (2+), com presença de esquizócitos em moderada quantidade. Para esse caso, a principal hipótese diagnóstica é:
Ainda com relação ao caso anterior, qual a melhor conduta a ser tomada?
O Estado do Rio de Janeiro tem a maior taxa de incidência de tuberculose do país. No entanto, o município de Itaboraí destaca-se no cenário mundial, tornando-se referência nacional segundo a OMS e Opas. Especialistas atribuem o bom resultado à cobertura do Programa de Saúde da Família (PSF) deste município. Os resultados foram a queda no índice de abandono de tratamento de 30% para 4% e o aumento no índice de cura de 60% para 88% nos últimos 5 anos. A estratégia responsável pela maior adesão e por estes resultados se baseia na (no):
Compartilhar