Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Paciente, 28 anos de idade, procurou atendimento em razão de relação sexual desprotegida há 24 horas, desejando receber orientação sobre contracepção de emergência. Refere parceiro sexual único e nega histórico de morbidades ou hábitos. Sobre contracepção de emergência, qual alternativa está correta?

A
Os contraceptivos de emergência de progestagênio isolado são menos eficazes do que os combinados em altas doses.
B
As náuseas são mais frequentes com os contraceptivos de emergência de progestagênio isolado do que com os combinados.
C
A presença de angina pectoris é contraindicação absoluta à utilização de contraceptivos hormonais de emergência.
D
Os contraceptivos de emergência hormonais são mais efetivos se utilizados até 72 horas após a relação sexual desprotegida.
Gestante de 35 semanas de idade gestacional, hipertensa, em uso de metildopa 250 mg de 8 em 8 horas e propanolol 40 mg ao dia. Realiza ultrassonografia, que apresenta os seguintes resultados: feto único, em situação longitudinal, apresentação cefálica. Batimentos cardiofetais com frequência de 150 bpm. Líquido amniótico: ILA = 10 cm. Placenta tópica, grau II (granum). Dopplerfluxometria apresentando diástole zero da artéria umbilical, idade gestacional ultrassonográfica de 35 semanas. Em relação ao líquido amniótico podemos concluir que a paciente apresenta:
Gestante de 20 semanas dá entrada no pronto-socorro no dia 11/10/2008 com dores abdominais. Refere que sua última menstruação foi no dia 15/05/2008 (primeiro dia do último período menstrual normal) e que tem três filhos vivos, sendo um filho de parto normal e um parto cesariana de gemelar. Qual é a idade gestacional calculada e qual a data provável de parto pela regra de Nägele, respectivamente?
Casal fértil, com dois filhos vivos, procura ginecologista para uma consulta de planejamento familiar. Segundo o casal, eles têm preferência por métodos de barreira. Caso o ginecologista escolha um método de barreira, qual poderia sugerir ao casal?
Em relação ao sangramento uterino disfuncional, está correto afirmar: I - o uso de análogos do GnRH reduz o sangramento uterino disfuncional, mas não é aceitável devido aos seus efeitos colaterais. II - o ácido tranexâmico parece ser a medicação que mais reduz o sangramento uterino disfuncional. III - hiperplasia de endométrio, síndrome dos ovários policísticos e pólipo endometrial são causas de sangramento uterino disfuncional.
Compartilhar