Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Paciente, com 48 anos de idade, G4P2A2, submetida à histerectomia subtotal, há 8 anos, por miomatose uterina com história de sinusorragia há 4 meses e há 15 dias vem apresentando sangramento vaginal persistente e dor pélvica. Ao exame, notou-se bom estado geral, descorada +/4+, tórax e abdome normais. No exame especular notou-se a presença do colo uterino, vagina normal e o orifício externo não estava individualizado pela presença de lesão irregular e sangramento. Ao toque, o corpo uterino não é palpável e o colo é doloroso à mobilização. No toque retal, a mucosa é lisa, o paramétrio esquerdo está irregular e doloroso, sendo que a irregularidade atinge a parede óssea da pelve. Existe encurtamento do paramétrio direito. Qual das alternativas indica a suspeita diagnóstica, o exame para confirmação e o tratamento?

A
Câncer de colo uterino - biópsia da lesão, quimioterapia e radioterapia.
B
Câncer do colo uterino - colposcopia com biópsia dirigida e conização.
C
Cervicite aguda com parametrite - cultura e antibioticoterapia de amplo espectro.
D
Câncer de colo uterino avançado - biópsia da lesão e cirurgia radical e radioterapia.
Com relação aos cuidados no pós-operatório, julgue o item que se segue. Na resposta endócrina e metabólica ao trauma, as variações do sódio constituem fator relevante para mediar a intensidade das alterações encontradas.
Um paciente de 55 anos, operado de hérnia inguinal direita, iniciou, no sétimo dia de pós-operatório, quadro de febre associado a drenagem de secreção purulenta pela ferida operatória. Após abertura dos pontos e coleta de material para cultura, o cirurgião iniciou tratamento antibiótico, visando principalmente a cobertura de:
Para a prevenção da síndrome de Wernicke em indivíduos em abstinência de álcool, deve-se administrar a seguinte substância antes da glicose:
Em relação à escarlatina, assinale a alternativa incorreta.
Compartilhar